sexta-feira, 15 de maio de 2015

“Telebras tem que ser para telecom o que a Petrobras é para setor energético”, diz Berzoini

Tele.Síntese - 14/05/2015

Numa concorrida cerimônia, que contou com a presença de políticos, autoridades, ex-presidentes da empresa, representantes do setor de telecomunicações e do PT do Rio de Janeiro, tomou posse hoje (14), na presidência da Telebras, o ex-deputado federal Jorge Bittar. 

Em seu discurso, o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, disse que a Telebras, embora ainda pequena em tamanho, tem que ocupar o mesmo papel estratégico de outras estatais, “tem que ser para o setor de telecomunicações o que a Petrobras é para o setor energético”. Além de seu papel na infraestrutura de telecom e na banda larga, Berzoini disse que ela tem um papel importante no setor público, integrando as ações de governo, e que deve priorizar as ações voltadas à educação. “A infraestrutura de banda larga é fundamental para o desenvolvimento da educação no país, em especial para o ensino fundamental e médio”, afirmou.

Numa sintonia de ideais, Bittar, em seu pronunciamento, destacou a importância da banda larga para o desenvolvimento econômico e para a produtividade das empresas, assim como para a inclusão social e redução das desigualdades.

Seu compromisso, à frente da empresa, é mantê-la como empresa estratégica de governo, “contribuindo para corrigir as falhas naturais de mercado e para a universalização da banda larga”. 

Na visão de Bittar, a Telebras tem também que ser um vetor de estímulo ao desenvolvimento de tecnologia nacional e da indústria brasileira. Ele destacou, ainda, que a Telebras não pode ser apenas uma empresa de conectividade, que ela é parte de uma rede que inclui as operadoras privadas, e que por essa rede têm que passar os serviços de educação, saúde, de segurança pública, de cultura e desenvolvimento da comunicação interpessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.