segunda-feira, 11 de maio de 2015

Conexão da Amazônia por fibras nos rios será inaugurada dia 25

Teletime- 11/05/2015

O Exército brasileiro vai inaugurar, no dia 25 deste mês, parte do projeto de conexão da região Norte por meio de cabos subaquáticos lançados nas calhas dos rios Negro, Solimões, Madeira, Juruá e Purus. Ao final do projeto, chamado de Amazônia Conectada, serão 7,8 mil km de fibras óticas com capacidade para atender as unidades da defesa do País, órgãos públicos e a população em geral, estimada em sete milhões de pessoas. O valor total do empreendimento está avaliado em R$ 1 bilhão e pode ser concluído até 2018.

A primeira fase do projeto, de demonstração de tecnologia, liga duas unidades do Exército instaladas nas margens do rio Negro desde o mês passado. São 10 km de cabo com 12 pares de fibras. A utilização de apenas um par tem garantido conexão com velocidade de 100 Gbps, informa o chefe do Centro Integrado de Telemática do Exército, general Decílio de Medeiros Sales, principal responsável pelo projeto.

A tecnologia usada é genuinamente nacional, desenvolvida e fabricada no País pela Padtec (DWDM- Dense Wavelength Division Multiplexing) e pela a Prysmian (cabo submarino adaptado para o ambiente fluvial). Para o general Sales, a escolha da tecnologia brasileira facilita a integração com outras redes, já que a Telebras e a RNP (Rede Nacional de Estudos e Pesquisas), já utilizam o mesmo sistema de transporte ótico.

Na inauguração dessa parte da Amazônia Conectada – que contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff e mais três ministros – serão celebrados memorandos de entendimento entre o Exército e a Universidade do Amazonas (UEA), Telebras e Eletronorte. O projeto já conta com o apoio da Prodam (empresa de processamento de dados do Amazonas), RNP e o Instituto do Patrimônio daquele Estado.

Segundo o general Decílio, a próxima etapa do projeto prevê o lançamento de fibras até a cidade de Tefé e, no terceiro momento, até Tabatinga, ampliando a capacidade de atendimento a cidades da fronteira do Peru e da Colômbia. A ideia é de que a Telebras fique responsável por levar as conexões para o atendimento do público, tarefa que será estabelecida pelo comitê gestor do projeto, que se reunirá pela primeira vez também no dia 25.

O comitê também ficará responsável pela busca de recursos para financiar o projeto. O general Sales afirmou que já existem empresas interessadas, como o Banco do Brasil – que pretende usar a rede para atendimento de seus clientes. "O projeto é um grande desafio para nós e garantirá um salto para o futuro da região", destacou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.