terça-feira, 28 de abril de 2015

Crise na PadTec acende sinal vermelho no governo e indústria de Telecom

Convergência Digital - 28/04/2015

A PadTec, fornecedora nacional de soluções para rede de longa distância e fabricante de equipamentos para comunicações ópticas, está enfrentando uma crise financeira e acendeu o sinal vermelho no governo e na indústria nacional de Telecom. Oficialmente, no entanto, os comentários ainda são bastantes cautelosos sobre o momento da empresa. Poucos se aventuram a falar sobre as razões para essa crise. 

"Ouvi falar, mas nada formal. Vamos acompanhar e especialmente o BNDES deve acompanhar, por razões óbvias. É uma empresa estratégica, que inclusive está no projeto do Exército na Amazônia e pode vir a ser fornecedora no projeto do cabo submarino para a Europa", disse o Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, ao ser questionado sobre o assunto, em evento em Brasília.

Em São Paulo, em coletiva de imprensa, nesta terça-feira, 28/04, o CPqD não quis comentar sobre a crise da PadTec, onde é acionista. Mas fontes presentes ao evento, asseguram que a situação não é 'tranquila e preocupa muito'. Procurada, a PadTec assumiu 'que enfrenta dificuldades, mas que nem de longe passa por uma crise' e se comprometeu a falar com o portal Convergência Digital, fato que não aconteceu até a veiculação dessa reportagem. 

Um dos primeiros passos da PadTec foi o de encerrar a unidade de produtos GPon, um dos mais usados no Brasil, mas onde sofre forte concorrência dos chineses. "Competir com a Huawei não é tarefa simples", diz uma fonte do setor de Telecom.

Fato é que não se sabe ao certo o que aconteceu com a fabricante, que em janeiro de 2013, recebeu um aporte de R$ 138,9 milhões do BNDES, sendo a maior parte em dinheiro. Com esse montante, o banco passou a ter 20% do capital da empresa. À epoca do aporte, a PadTec, localizada em Campinas, no interior de São Paulo, prometeu pular de 360 para 700 profissionais. A empresa também recebeu um aporte do Grupo Ideiasnet, que no somatório capitalizou a empresa em R$ 167 milhões.

Ao governo, o destino da PadTec preocupa por conta da sua forte presença na Telebras. Em 2013, a fornecedora fechou um contrato de R$ 108 milhões para prestar serviços de gestão, operação e manutenção da rede da estatal. Também tem papel central no projeto de levar fibra óptica para a região norte. Um dos programas onde a PadTec está à frente é o Amazonas Conectada, iniciativa do Exército Brasileiro em parceria com o governo do Amazonas entre outras instituições públicas e privadas, que tem por objetivo levar conexão de banda larga ao interior do estado. A PadTec respondeu por 7 km de cabo óptico lançado no leito do Rio Negro em Manaus.

O programa prevê em sua totalidade o atendimento a cerca de 7,5 milhões de habitantes, disponibilizando serviços de internet e conexão de alta capacidade que permitirão aplicações como telemedicina e ensino à distância, além de interconectar órgãos nas áreas de saúde, segurança pública, trânsito e turismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.