sexta-feira, 21 de junho de 2013

Brasil y Uruguay inauguran telecentro binacional con Internet gratuita

La empresa brasileña Telebras, y ANTEL, inauguraron la primera conexión binacional de fibra óptica, lo que se anuncia dará interconexión de calidad superior a las redes de los dos países.

La Red21 Tecnologia - Viernes 21 de Junio, 2013


Autoridades en la inauguración del telecentro / PresidenciViernes 21 de junio de 2013 | 12:10
El acontecimiento fue celebrado en la ciudad fronteriza de Santana Do Livramento –vecina a Rivera- donde comenzará a funcionar un telecentro binacional con acceso gratuito a Internet, en beneficio de los vecinos de ambos lados de la frontera.
“Para ANTEL se trata del primer paso de un largo camino de interconexión, que ya existe en materia de energía o complementación industrial”, dijo la presidenta del ente, Carolina Cosse, en declaraciones que publica el portal de Presidencia de la República.

La importancia de Brasil en la agenda uruguaya

Para Cosse es “un hito más en la colaboración con Brasil, un país que resulta tan importante en la agenda de Uruguay (…) Esperemos que esto continúe con más acciones concretas de colaboración y concreción en telecomunicaciones, en la industria del software y la electrónica, con miras a desarrollar el futuro en conjunto”.
Por su parte el presidente de Telebras, Caio Bonilha, dijo que esta integración tiene un alto significado simbólico para la integración sudamericana, y apunta a una proyecto de largo plazo, cuyos primeros beneficiarios son los vecinos que se integran en la frontera.
Participaron también del acto inagural el ministro de Comunicaciones de Brasil, Paulo Bernardo, el presidente de Eletrosul, Eurides Mescolotto, el prefecto de Santana do Livramento, Glauber Gularte Lima, y el intendente interino de Rivera, Abilio Briz, entre otras autoridades.
Dilma sanciona lei que permitiu a contratação da rede da Telebras para transmissão de jogos da Copa das Confederações

MiniCom pagou R$ 31,6 milhões à estatal pelo serviço, enquanto o lucro advindo da venda dos direitos de exibição dos jogos pelas TVs de todo o mundo ficarão com a Fifa.

Tele.Síntese - 21/06/2013

A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei n° 12.833, de 20 de junho de 2013, que, entre outras providências, altera a lei da Copa (12.633/2012) para incluir a possibilidade de contratação da Telebras ou de empresa por ela controlada, por órgãos da administração pública, para disponibilizar os serviços de telecomunicações necessários para realização dos eventos esportivos, sem necessidade de licitação. A legislação oficializa o que já estava permitido pela Medida Provisória 600/2012.

Foi com essa medida que permitiu que o Ministério das Comunicações contratasse a rede da estatal por R$ 31,6 milhões para a execução dos serviços de transmissão de vídeo de alta definição (HDTV) dos jogos da Copa das Confederações. A expectativa inicial era de que a Fifa arcasse com os custos desses serviços, o que não aconteceu.

Para atender a demanda dos eventos esportivos internacionais, a Telebras teve que expandir sua rede de fibra óptica em mais 8,9 mil km, conectando todos os estádios participantes do evento – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA) – ao Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC) da Fifa, localizado em Belo Horizonte. São utilizados links que totalizam 100 Gbps e a tecnologia utilizada pela estatal para iluminar as fibras é o DWDM (Dense Wavelengh Division Multiplexing), com equipamentos desenvolvidos no País.

O custo da construção da rede foi de R$ 200 milhões, arcados pelo governo, mas com o argumento de que ficará como legado para a população brasileira, já que será integrada ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). Enquanto os recursos advindos da venda dos direitos de transmissão dos jogos, pagos pelas emissoras de TV de todo o mundo, ficarão para a Fifa.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Copa das Confederações: Fifa elogia rede de alta qualidade da Telebras

Telebras - 20/06/2013

O Comitê Organizador da Copa das Confederações da Fifa 2013 considerou um sucesso e de alta confiabilidade a infraestrutura construída pela Telebras para garantir a transmissão de vídeo de alta definição (HDTV) dos estádios que sediam o torneio ao Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC) da Fifa, localizado em Belo Horizonte (MG). De lá essas imagens são distribuídas pelas emissoras de TV para todo o mundo, em tempo real.

O assunto foi ressaltado na conferência de imprensa realizada nesta quarta-feira (19) no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Ao destacar a importância dos serviços de telecomunicações para o sucesso do evento, o diretor de TV da Fifa, Niclas Ericson, citou os índices de audiência de TV da primeira rodada da Copa das Confederações e o número recorde de mais de 3 mil profissionais de rádio e TV credenciados para a cobertura da competição no Brasil.

“O jogo de abertura entre Brasil e Japão teve 30 milhões de espectadores na TV brasileira. No Japão, foram 5 milhões”, disse Niclas Ericson, que expressou pessoalmente ao presidente da Telebras, Caio Bonilha, sua satisfação com o trabalho que a empresa vem desenvolvendo na Copa das Confederações, do profissionalismo de todo o pessoal e da presteza no atendimento de suas demandas. O trabalho da Telebras também foi elogiado pelo CEO da Match IT, Dick Wiles, empresa prestadora de serviços de ingressos, hospedagem e informática à Fifa para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014.

Caio Bonilha disse que o sucesso do projeto se deve ao esforço de todo o pessoal da Telebras, que trabalhou muito para entregar um produto de qualidade internacional em tempo recorde, uma rede de alta confiabilidade e qualidade nas cidades-sede da Copa das Confederações.

“Foram utilizados na construção dessa rede equipamentos de última geração, para garantir uma alta qualidade e confiabilidade na transmissão dos vídeos. Essa infraestrutura será ampliada para a Copa do Mundo de 2014, conectando mais estádios ao Centro da Fifa”, lembrou Caio.

A Telebras foi contratada pelo Ministério das Comunicações para construir a rede de fibra óptica para a transmissão das imagens de alta definição (HDTV) dos estádios que participam da Copa das Confederações – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA) – até o Centro de Transmissão da Fifa em Belo Horizonte.

Para garantir a alta qualidade das imagens, foram utilizados links que totalizam 100Gbps, conectando todos os estádios participantes do torneio.
Transmissão de vídeos na Copa das Confederações ocorre sem incidentes, diz Telebras.

Estatal afirma que engenheiros envolvidos com o projeto permanecerão de plantão até o final do torneio


Enquanto as telecomunicações nos estádios ficaram a desejar durante os jogos da Copa das Confederações, as transmissões de vídeo de alta definição (HDTV) da rodada de abertura transcorreram sem incidentes. É o que informa a Telebras, que construiu a infraestrutura necessária para o evento.

A estatal adianta que todos os engenheiros envolvidos com o projeto permanecerão em regime de plantão nas cidades-sede da Copa das Confederações até o dia 30 deste mês, para garantir o funcionamento da rede, como informa o diretor Técnico-Operacional da Telebras, Paulo Kapp.

A Telebras foi contratada pelo Ministério das Comunicações para construir a rede de fibra óptica que garante a transmissão das imagens dos estádios que sediam a Copa das Confederações ao Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC) da Fifa, localizado em Belo Horizonte (MG). De lá essas imagens são distribuídas pelas emissoras de TV para todo o mundo.

Estão sendo utilizados links que totalizarão 100Gbps, conectando todos os estádios participantes do evento – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA) – ao centro da Fifa. A tecnologia utilizada pela Telebras para iluminar as fibras é o DWDM (Dense Wavelengh Division Multiplexing), com equipamentos desenvolvidos no país.

Esses links garantem uma qualidade acima do praticado hoje no mercado de telecomunicações, que, conforme exigência da Fifa, atingem o patamar mínimo de disponibilidade de 99,99%. A estrutura será ampliada para a utilização na Copa do Mundo de 2014.

O trabalho de expansão da rede de fibra óptica para atender a demanda desses dois grandes eventos internacionais elevou o backbone da Telebras para mais de 25 mil km em todo o país, interligando todas as regiões brasileiras com uma banda larga de alta confiabilidade e velocidade. A estatal informa ainda que este será um legado para a população brasileira, que passa a ter a possibilidade de acesso ao Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) do Ministério das Comunicações, por meio de operadores regionais.

Antel y Telebrás realizaron la primera interconexión de sus redes

2013.06.19 | Antel y Telebrás, empresas públicas de Telecomunicaciones de Uruguay y Brasil, inauguraron la primera interconexión de sus redes de fibra óptica a través de un telecentro binacional que brindará acceso gratuito a Internet a las comunidades de los dos países.

Antel Telebras
                                     Carolina Cosse, Caio Bonilha y Paulo Bernardo


El telecentro, que está ubicado en el municipio de la ciudad brasileña de Santana do Livramento, ubicado a pasos de la frontera con Uruguay, fue inaugurado por Paulo Bernardo, ministro de Comunicaciones de Brasil, Carolina Cosse, presidenta de Antel, y Caio Bonilha, presidente de Telebras, entre otros funcionarios de ambos países.

Durante el acto, Bernardo destacó que se ‘comienza a consolidar la vinculación física en este mundo virtual con los países hermanos de América del Sur’, haciendo referencia al proyecto despliegue de un anillo óptico del Cono Sur en que trabajan desde el año pasado los gobiernos de Perú, Chile, Uruguay, Brasil y Argentina.

En este marco, la inauguración de esta primera interconexión entre Uruguay y Brasil es consecuencia del acuerdo que en octubre del 2012 firmaron Bonilha y Cosse para la interconexión de las redes de fibra óptica.

Para el funcionamiento de la interconexión de Santana do Livramento, Antel provee una conexión de fibra óptica al telecentro binacional, con un acceso a Internet de 100 megabits por segundo, y un acuerdo de intercambio de tráfico de 1 giga.

Cosse remarcó que ‘para Antel, esta acción concreta de telecomunicaciones con Brasil es el primer paso de un largo camino de interconexión, que no comienza aquí, ya que existe mucha interconexión en materia de energía o de complementación industrial’, lo que continuará a futuro ‘con más acciones concretas de colaboración y concreción en telecomunicaciones, en la industria del software y la electrónica, con miras a desarrollar el futuro en conjunto’.

Por su parte, Bonilha dijo que esta inauguración representa ‘un momento extremadamente importante para Telebras, porque es la primera interconexión binacional’ y forma parte ‘de un proyecto de largo plazo que simboliza mucho para el proceso de integración sudamericana’.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Copa das Confederações: rede da Telebras garante transmissão de alta qualidade

Telebras - 19/06/2013

Transcorreram sem incidentes as transmissões de vídeo de alta definição (HDTV) da rodada de abertura da Copa das Confederações, na segunda-feira (17), com o suporte da Telebras, que construiu a infraestrutura necessária para o evento. Nesta quarta (19), começa a segunda rodada do torneio, com os jogos de Brasil x México, em Fortaleza; e Itália x Japão, em Pernambuco.

Todos os engenheiros da Telebras envolvidos com o projeto permanecerão em regime de plantão nas cidades-sede da Copa das Confederações até o dia 30 deste mês, para garantir o funcionamento da rede, informa o diretor Técnico-Operacional da Telebras, Paulo Kapp.

A Telebras foi contratada pelo Ministério das Comunicações para construir a rede de fibra óptica que garante a transmissão das imagens dos estádios que sediam a Copa das Confederações ao Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC) da Fifa, localizado em Belo Horizonte (MG). De lá essas imagens são distribuídas pelas emissoras de TV para todo o mundo.

São utilizados links que totalizarão 100Gbps, conectando todos os estádios participantes do evento – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA) – ao centro da Fifa. A tecnologia utilizada pela Telebras para iluminar as fibras é o DWDM (Dense Wavelengh Division Multiplexing), com equipamentos desenvolvidos no País.

Esses links garantem uma qualidade acima do praticado hoje no mercado de telecomunicações, que, conforme exigência da Fifa, atingem o patamar mínimo de disponibilidade de 99,99%. A estrutura será ampliada para a utilização na Copa do Mundo de 2014.

O trabalho de expansão da rede de fibra óptica para atender a demanda desses dois grandes eventos internacionais elevou o backbone da Telebras para mais de 25 mil km em todo o País, interligando todas as regiões brasileiras com uma banda larga de alta confiabilidade e velocidade.

Este será um legado para a população brasileira, que passa a ter a possibilidade de acesso ao Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) do Ministério das Comunicações, por meio de operadores regionais.
Começa de fato a implantação do anel óptico sul-americano

A iniciativa, que conta com apoio do Ministério das Comunicações, integra as redes de telecom do Brasil e Uruguai

MiniCom- 19/06/2013

Santana do Livramento, 18/06/2013 - Foi inaugurado em Santana do Livramento (RS) o que está sendo chamado de o primeiro caminho digital binacional, a integração das redes de telecomunicações entre o Brasil e Uruguai, o primeiro passo para a implantação efetiva do anel óptico entre os países da América do Sul.

A rede comum foi resultado de parceria da Telebras com a Antel, empresa de telecomunicações do país vizinho.

Segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que participou na manhã desta terça-feira da inauguração, "o caminho está aberto para nos conectarmos com os países vizinhos e assim avançarmos para a grande interligação entre os países da fronteira".

A integração das redes dos dois países permitiu a instalação do primeiro Telecentro Binacional da América Latina em Santana do Livramento (RS), cidade que faz fronteira com Rivera, no Uruguai. Numa praça comum aos dois países, foi instalado sistema de wi-fi grátis para atender à população dos dois países. "Com este investimento", disse Bernardo, "a população da cidade brasileira e uruguaia tem uma nova forma de lidar com a informação e entra de fato na era digital".

Com o objetivo de proporcionar ao Estado uma rede de alta velocidade, serviços de transmissão de voz, dados e imagem com qualidade, a iniciativa vai integrar as rede de telecom de Brasil e Uruguai, beneficiando tanto os moradores de Livramento quanto os de Rivera, cidade uruguaia com a qual faz divisa.

O telecentro funcionará na prefeitura de Livramento e também vai oferecer cursos de informática à população dos dois países. Os 20 computadores do telecentro, doados pela Caixa Econômica, estarão configurados com padrões de acessibilidade para os portadores de deficiência visual.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Empresas investirão até US$ 15 bilhões em 4G até 2015, estima Minicom

Teletime - 18/06/2013

O secretário de Serviços de Telecomunicações, Maximiliano Martinhão, estimou que as empresas que arremataram as faixas de 2,5 GHz irão investir de R$ 12 bilhões a R$ 15 bilhões em infraestrutura 4G até 2018.

Martinhão, que participou nesta terça, 18, de audiência pública na comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTI) da Câmara dos Deputados, lembrou também que a Anatel estabeleceu "medidas de incentivo transitórias", em referência às metas de aquisição de tecnologia nacional e produtos produzidos no Brasil.

Essas metas exigem que as empresas que arremataram as faixas no leilão comprem, até 2014, 50% de produtos produzidos no Brasil, dos quais 10% com tecnologia nacional. Depois, o percentual de produtos com tecnologia nacional sobre para 15% até 2016 e 20% até 2017. Segundo ele, a exigência fez com que alguns fabricantes passassem a produzir equipamentos LTE no Brasil.

Martinhão voltou a dizer que o governo vai manter a política de aliviar no preço mínimo das faixas de 700 MHz em troca de obrigações de cobertura. Segundo Martinhão, no leilão das faixas de 2,5 GHz/450 MHz essa política significou aproximadamente R$ 4 bilhões que o governo deixou de arrecadar. O valor é bastante significativo, tendo em vista que a arrecadação total do leilão de 2,5 GHz foi de R$ 2,93 bilhões. Martinhão, contudo, evitou comentar se o valor das contrapartidas do leilão de 700 MHz se aproximaria dos R$ 4 bilhões do leilão de 2,5 GHz/450 MHz. "Essa é a pergunta de US$ 1 milhão".

O secretário listou também outras ações do governo no sentido de estimular a banda larga. A Telebras irá investir R$ 719 milhões na construção da sua rede, além de R$ 65 milhões em redes metropolitanas resultado do compromisso do Brasil com a Fifa. O satélite geoestacionário brasileiro também foi lembrado pelo seu papel estratégico de levar a banda larga a regiões com dificuldade de ser atendida pela rede terrestre. A previsão, segundo o secretário, é de que o fornecedor do satélite seja escolhido meados de julho. Conforme publicado por este noticiário na última segunda, 17, a Visiona (joint-venture entre Telebras e Embraer) trabalha com o prazo de 31 de julho para concluir a análise das propostas finais e contratar o fornecedor do satélite, cujo lançamento está previsto para 2015.
Investimentos públicos à banda larga chegam a R$ 9,5 bilhões

Convergência Digital :: 18/06/2013

Ao apresentar resultados do Plano Nacional de Banda Larga no Congresso Nacional, nesta terça-feira, 18/06, o secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, listou uma série de rubricas que envolvem aportes diretos ou indiretos para incentivar a massificação dos acessos à Internet no país. A conta chega a R$ 9,5 bilhões.

Nesse resultado, Martinhão cita os R$ 719 milhões que serão investidos na construção da rede pública de fibras ópticas pela Telebras, além de R$ 65 milhões em redes específicas para utilização na Copa do Mundo de 2014. Outra forte rubrica mencionada é relacionada com a Telebras e envolve os R$ 700 milhões para aquisição de um satélite geoestacionário – processo em andamento no qual já há três fornecedores na disputa.

Também consta como investimento direto do governo federal o projeto de Cidades Digitais, cuja primeira rodada, com seleção de 80 municípios, contava com R$ 44 milhões. Nova etapa tem mais R$ 100 milhões. Além desses aportes diretos, o secretário de Telecomunicações relacionou os benefícios tributários. “É a primeira vez desde a privatização do setor que o governo adota desonerações tributárias como incentivo”, afirmou Martinhão.

Nesse campo, R$ 3,8 bilhões são projetados como desonerações ligadas ao Regime Especial do PNBL – isenções de PIS e Cofins, e IPI em alguns casos, para novas redes de telecomunicações até 2016. Há, ainda, R$ 2 milhões por conta da inclusão dos smartphones nos benefícios da Lei do Bem. Outros R$ 163 milhões são os incentivos previstos com a desoneração, ainda pendente de regulamentação, dos equipamentos M2M.

O cálculo do Minicom é extrapolado, também, para a estimativa do que o governo não faturou em leilões de radiofrequência. “Foram R$ 4 bilhões que deixaram de ser arrecadados em leilões por conta das trocas por obrigações assumidas”, observou Maximiliano Martinhão.
Fabricantes superam requisitos de transferência de tecnologia exigidos pela Visiona

Teletime - 17/06/2013

Os três fabricantes que entraram na pré-seleção para fornecer o satélite para o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação (SGDC) superaram os requisitos mínimos de transferência de tecnologia exigidos pela Visiona. Segundo apurou este noticiário, a companhia está negociando individualmente com a Mitsubishi Electric Corporation (Melco), Space Systems/Loral, e Thales Alenia Space para que eles enviem até o final do mês uma versão final da proposta, algo conhecido pela sigla em inglês (BAFO) - best and final offer. A Visiona deve levar mais aproximadamente 30 dias para analisar a proposta final, assim a expectativa é que o nome do vencedor seja divulgado no final de julho.

Segundo apurou este noticiário, o governo brasileiro elaborou uma lista de temas nos quais pretende ter uma indústria ativa na área espacial. A partir dessa lista, a Visiona elaborou os requisitos mínimos que foram superados pelos três fornecedores previamente escolhidos. Importante notar que a até mesmo a americana/canadense Space Systems/Loral, que está sujeita ao International Traffic in Arms Regulations (ITAR) (legislação norte-americana que restringe a utilização de tecnologia americana por outros países) superou o mínino exigido pelo Brasil.

A Visiona é uma joint-venture da Telebras (49%) com a Embraer (51%) criada para ser o veículo de absorção tecnológica do primeiro satélite geoestacionário brasileiro que terá capacidade em banda X para uso militar e em banda Ka para uso da Telebrás. O orçamento da Telebrás para a aqusição do satélite é de R$ 716 milhões. O orçamento inicial previa lançamento em 2014, mas no mercado já se trabalha como fim de 2015 como data mais provável.