sexta-feira, 10 de maio de 2013

Campi da UFPB terão internet de alta velocidade 


PBAgora - 10/05/2013

Os três Campi da Universidade Federal da Paraíba, que não se localizam na capital, contarão com links de internet com velocidade de 100 Mbps, dentro do programa Veredas Novas.

O programa Veredas Novas disponibilizará links de comunicação de 100 Mbps, podendo chegar até 1 Gbps e interligará os campi à infraestrutura de conexões da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). Hoje o sistema, no interior, atinge no máximo 32 Mbps.

As unidades da UFPB localizadas em Areia, Bananeiras, Rio Tinto e Mamanguape receberão em breve, cada uma, uma conexão direta com o Campus I, em João Pessoa. O Núcleo de Tecnologia da Informação da UFPB (NTI) informa que os equipamentos já estão em fase final de instalação e a ativação está prevista para final de junho.

Com o sistema totalmente em funcionamento haverá um significativo aumento na velocidade de Internet. O investimento em internet banda larga é uma reivindicação da comunidade acadêmica de todos os Campi do interior e contribuirá consideravelmente na melhoria das atividades acadêmicas e administrativas.

O acordo entre a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), a Telebras e a UFPB prevê ainda o uso da infra-estrutura em instalação para fornecer acesso de banda larga aos habitantes dos municípios onde a UFPB está instalada, cumprindo o que determina o programa de interiorização do acesso à Internet previsto no PNBL - Programa Nacional de Banda Larga, sem prejuízo da conexão de 100 Mbps com a sede da UFPB.

quinta-feira, 9 de maio de 2013


Telebras chega ao Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Vitória

Telebras - 09/05/2013

Brasília, 08 maio 2013 – A Telebras concluiu os anéis fibra óptica nas regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, expandindo sua rede de telecomunicações em mais 8,9 mil km. Com isso, o backbone da empresa atinge o total de mais de 25 mil km em todo o país, interligando todas as regiões brasileiras com uma banda larga de alta confiabilidade e velocidade. As regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória e Belo Horizonte passam a integrar a rede nacional da Telebras, ampliando a possibilidade de atendimento do PNBL.

A rede será utilizada também para atendimento da Copa das Confederações no fornecimento de serviços de transporte de imagens e som para televisão em alta definição (HDTV) para a Fifa, a fim de garantir as transmissões dos jogos para o mundo. Nesse caso, serão utilizados links que totalizarão 20Gbps, conectando todos os estádios participantes do evento ao Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC), localizado na capital mineira, Belo Horizonte. A tecnologia utilizada pela estatal para iluminar as fibras é o DWDM (Dense Wavelengh Division Multiplexing), com equipamentos desenvolvidos no país.

“Na última semana, realizamos testes em nossa rede com a empresa contratada pela Fifa para a transmissão do sinal de vídeo dos jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, e o resultado foi excelente”, afirmou o presidente da Telebras, Caio Bonilha.

A maior beneficiada, no entanto, é a população brasileira, que passa a ter a possibilidade de acesso ao Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) do Ministério das Comunicações, por meio de operadores regionais em mais de 1.300 municípios, incluindo 19 capitais e áreas metropolitanas.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Comissão Mista do Senado aprova relatório da MP 600

Agência Senado - 08/05/2013

A comissão mista destinada a examinar e emitir parecer sobre a Medida Provisória 600/2012, aprovou, nesta quarta-feira (8), o relatório do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA). A MP altera várias leis que tratam do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) e de fontes adicionais de recursos para a Caixa Econômica Federal.

Uma das alterações do relator foi retirar do texto a restrição à destinação dos recursos do programa Minha Casa, Minha Vida. A medida provisória previa que os recursos captados pela Caixa Econômica Federal até o limite de R$ 3 bilhões destinam-se ao financiamento de material de construção e de bens de consumo duráveis, exclusivamente para o público da Faixa 1 (com renda mensal de até R$ 1.600).

Segundo o deputado, a própria presidente Dilma Rousseff já declarou que os recursos devem ser destinados a todas as faixas.

Outra alteração proposta anteriormente pelo relator, a criação do Fundo de Investimento do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Fifat), foi excluída do parecer. Segundo o deputado, o assunto ainda não foi suficientemente debatido e precisa ser “mais amadurecido”.

O relatório acolheu emenda do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) que estende ao Banco do Nordeste (BNB) a autorização para a União conceder subvenção econômica nas operações com produtores rurais localizados em municípios atingidos por desastres naturais, inclusive pelos efeitos da estiagem. O texto original da MP citava apenas o BNDES.

Foram apresentadas 28 emendas à medida provisória, que também trata do aumento de prazo para a União atuar em trechos de rodovias federais transferidas para os estados, da ampliação da oferta de crédito e investimento em infraestrutura e da transformação da Telebras em prestadora oficial de serviços de telecomunicações na Copa do Mundo de 2014 [e também na Copa das Confederações e na Jornada Mundial da Juventude].

APROVADO PARECER NA COMISSÃO
O Relator, Deputado Lucio Vieira Lima, apresenta complementação de voto concluindo pela relevância e urgência, constitucionalidade, juridicidade, boa técnica legislativa da Medida Provisória nº 600, de 2012, e de todas as emendas apresentadas, pela compatibilidade e adequação orçamentária e financeira da Medida Provisória, e das emendas nºs 10, 12, 17, 18, 22, 24 e 27, pela não implicação em matéria financeira ou orçamentária das emendas nºs 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08, 11, 14, 16, 19, 20, 21, 23, 25, 26 e 28, pela incompatibilidade e inadequação orçamentária e financeira das emendas nºs 09, 13 e 15, ficando o exame de mérito prejudicado em relação a estas últimas. No mérito, pela aprovação da Medida Provisória e da emenda nº 21, com a rejeição das demais emendas, nos termos do Projeto de Lei de Conversão apresentado.
Encerrada a discussão, colocado em votação, é aprovado o Relatório, que passa constituir Parecer da Comissão.
O Presidente submete ao Plenário a dispensa da leitura e a aprovação da ata da presente Reunião, que é aprovada.
Entrevista com Caio Bonilha, Presidente da Telebras

O Presidente da Telebras, Caio Cezar Bonilha Rodrigues, concedeu uma entrevista exclusiva a este blog, respondendo sobre contratos, lucro, capitalização e valor para o acionista.

Insight - Laboratório de Ideias - 08/05/2013

Insight - Laboratório de Ideias: Em termos de perspectivas de faturamento, quais são os grandes contratos que a Telebras já fechou até hoje? Há outros em processo final de concretização?
Caio Bonilha: Todos os contratos que a Telebras firmou foram divulgados ao mercado e publicados no Diário Oficial da União. São, principalmente, contratos com instituições que integram o Estado brasileiro, notadamente na área de defesa nacional, além dos contratos privados com os Provedores Internet, alguns com demanda de 1 Gbps. Em 06/05 foi publicado no DO nosso contrato com o MC relativo ao fornecimento de serviços para a Copa das Confederações.

Insight - Laboratório de Ideias:  A Telebras tem um contrato para oferecer banda larga móvel de quarta geração em conjunto com a SKY. Quais são as expectativas para este contrato, agora que o 4G está chegando com força no Brasil?
Caio Bonilha: A Telebras fornece banda larga para a Sky, que atende aos seus clientes finais por meio da tecnologia 4G. Naturalmente, na medida em que esta tecnologia avança no País, as nossas perspectivas de ampliação de serviço também aumentam, cabendo, no entanto, à Sky, a decisão final com relação à prestação do seu serviço de internet.

Insight - Laboratório de Ideias:  Em julho de 2011, o senhor afirmou que a empresa começaria a ter lucro operacional a partir de 2013. Esta previsão poderá se concretizar? Se sim, ainda para o primeiro semestre?
Caio Bonilha: Trabalhamos com o objetivo de transformar a Telebras em uma empresa lucrativa. Como toda start up, porém, enfrentamos uma série de questões inerentes ao nosso desafio, sendo uma das principais o equilíbrio financeiro. No momento, em virtude da sensibilidade do mercado, não temos claro se vamos concretizar a meta.

Insight - Laboratório de Ideias:  A Telebras tem planos para se capitalizar sem precisar recorrer a novos aportes do governo? Nesse caso, o lançamento de debêntures de infraestrutura poderia ser utilizado?
Caio Bonilha: Capitalizar a Telebras, por meio de uma emissão de ações, é uma decisão do governo brasileiro, não nos cabendo opinar acerca disso, embora entendamos que não é o momento de fazer uma emissão de ações no mercado, pois ainda estamos em fase de início de operação.  
Quanto às debêntures de infraestrutura, estamos analisando alternativas de mercado para financiar nossos projetos de investimento, sendo as debêntures um dos instrumentos possíveis. Ressalto que ainda não foi tomada a decisão de emiti-las ou tomar qualquer tipo de financiamento.

Insight - Laboratório de Ideias: Segundo a Price Waterhouse, maximizar o valor para os acionistas tornou-se um novo imperativo para as empresas e seus gestores. Como o senhor e o Bolivar Moura Neto já afirmaram ter esse objetivo, o que a empresa está fazendo ou planeja fazer nesse sentido?
Caio Bonilha: Como afirmei anteriormente, estamos trabalhando para atingir o objetivo de transformar a Telebras em uma empresa lucrativa, maximizando, consequentemente, o valor para o nosso acionista. Mas isso, em uma star-up pode demorar a acontecer, dado o elevado tempo de maturação e realização dos investimentos. 
Estamos trabalhando arduamente para dotar a Telebras da melhor e mais avançada rede de telecom de longa distância do país, hoje com mais de 20 mil km em operação. Estamos trabalhando também em projetos estruturantes, como a implantação de processos, renovação dos quadros técnicos, implantação de sistemas de gerência de rede (NOC, inaugurado em abril/2013) e de um sistema de gestão (SAP). 
Além desses projetos, temos um compromisso com a tecnologia nacional, demandando melhoras constantes de nossos fornecedores nacionais e projetos com universidades, através da Telebras Tecnologia. Como pode se ver, são muitos projetos para uma equipa de pouco mais de 200 pessoas.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Haddad começará wi-fi grátis pelas Zonas Leste, Sul e Centro de SP

Blog Fernando Haddad - 07/05/2013

No próximo dia 10, a prefeitura de São Paulo fará audiência pública para debater o projeto Praças Digitais, que oferecerá conexão à internet sem fio grátis em 120 praças de São Paulo

Serão apresentadas as especificações técnicas para provedores, operadoras, integradores, fornecedores de equipamentos, entidades da sociedade civil e cidadãos interessados no tema.

O evento é preparatório para a licitação de oferta do serviço, a ser realizada até julho. A meta é iniciar a implantação em setembro. Os primeiros lugares que serão atendidos inclui:

Zona Leste: Terminal São Mateus, praça Lions Clube e praça Dilva Gomes - Cohab;
Zona Sul: Largo Treze, praça dos Cartógrafos e praça Adão Domingos de Morais Filho;
Centro: Pátio do Colégio, Vale do Anhangabaú e Praça Roosevelt;

Velocidade
As especificações preveem velocidade mínima de 512 kbps por dispositivo conectado (por exemplo, smartphone, tablet ou notebook), considerando um número de usuários simultâneos frequentadores de cada praça. Caso muita gente use ao mesmo tempo, a banda será compartilhada e a velocidade cairá.

É uma boa especificação de velocidade, considerando ser uma garantia de entrega mínima, e se o fluxo de usuários nas praças não for subestimado. Na verdade, poucos serviços de wi-fi, especialmente gratuitos oferecem isso. Para dar essa garantia de velocidade, a Prefeitura terá que contratar muita capacidade de Banda para atender. Será um belo programa e Fernando Haddad com ele vai começar a cumprir mais um compromisso assumido na sua campanha. Esperemos que a militância veterana e impaciente na internet que implicou com as primeiras metas populares do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), no início do governo Dilma, seja mais compreensiva com o governo Haddad do que foi com o Ministério das Comunicações, já que a prefeitura está pedindo uma velocidade que é a metade da especificada no PNBL dois anos atrás.

Depois de 8 anos engavetada, Haddad retoma wifi grátis
A criação redes Wi-Fi públicas em São Paulo foi proposta em 2004, quando a então prefeita Marta Suplicy (PT) tentava a reeleição. O projeto foi engavetado por seu sucessor, José Serra (PSDB), e continuou engavetado na gestão de Kassab (PSD). Voltou aos planos da prefeitura com a eleição de Fernando Haddad (PT-SP).

Cidades digitais
Não são só metrópoles como São Paulo que tem planos de disseminar o uso público da internet. Em cidades já cobertas pela rede da Telebras, está em curso a instalação do Projeto Cidades Digitais do Ministério das Comunicações, incluído no PAC 2. O projeto implanta infraestrutura de conexão de rede entre os órgãos públicos, e prevê instalação de pontos de acesso à internet para uso livre e gratuito em espaços de grande circulação em locais definidos a critério das prefeituras.
Em busca de acordo, comissão da MP 600 adia reunião para quarta-feira

Agência Senado - 07/05/2013

Foi suspensa a reunião desta terça-feira (7) da comissão mista destinada a examinar e emitir parecer sobre a Medida Provisória 600/2012. A MP altera várias leis que tratam do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) e de fontes adicionais de recursos para a Caixa Econômica Federal.

O presidente da comissão, senador Delcídio do Amaral (PT-MS), informou que o relator da MP, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), e o governo ainda estão em busca de entendimento.

A medida provisória também trata do aumento de prazo para a União atuar em trechos de rodovias federais transferidas para os estados, da ampliação da oferta de crédito e investimento em infraestrutura e da transformação da Telebras em prestadora oficial de serviços de telecomunicações na Copa do Mundo de 2014.

A MP 600/2012 recebeu 28 emendas. O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), por exemplo, propõe estender ao Banco do Nordeste (BNB) a autorização para a União conceder subvenção econômica nas operações com produtores rurais localizados em municípios atingidos por desastres naturais, inclusive pelos efeitos da estiagem.

A reabertura da reunião foi marcada para esta quarta (8), às 14h30, na sala 7 da ala Alexandre Costa.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nota do Insight - Laboratório de Ideias

A MP 600/2012, entre diversas matérias, insere na norma legal o fato de a Telebras ser a prestadora dos serviços de telecomunicação necessários à realização da Copa das Confederações, da Copa do Mundo e da Jornada Mundial da Juventude, bem como a dispensa de licitação para a contratação da estatal ou de empresa por ela controlada.

Extratos do Relatório do Senador Lúcio Vieira Lima, produzido em 24/03/2013:

A Lei nº 12.663, de 5 de junho de 2012, passa a vigorar com as seguintes alterações:
“Art. 55. ........................................................
§ 1º Observado o disposto no caput, a União, por meio da administração pública federal direta ou indireta, poderá disponibilizar, através de instrumento próprio, os serviços de telecomunicação necessários para a realização dos eventos.
§ 2º É dispensável a licitação para a contratação, pela administração pública federal direta ou indireta, da TELEBRÁS ou de empresa por ela controlada, para realizar os serviços previstos no § 1º.”

Outra alteração decorre da inserção de dois parágrafos – 1º e 2º – no art. 55 da Lei nº 12.663, de 5 de junho de 2012, que trata da disponibilização de serviços para o Comitê Organizador dos eventos internacionais que o País vai sediar. Os serviços de comunicação poderão ser supridos pela União, por meio de instrumento próprio, sendo dispensável a licitação para a contratação da Telebrás ou de
empresa por ela controlada.

Com relação à disponibilização, pela União, para o Comitê Organizador da Copa das Confederações, da Copa do Mundo e da Jornada Mundial da Juventude, dos serviços de telecomunicação necessários à realização dos referidos eventos, a EM nº 18 argumenta que se trata de um requisito à candidatura brasileira, quando o governo se comprometeu a atender às exigências da FIFA, entre as quais esses serviços, sem qualquer custo para o Comitê Organizador. A infraestrutura do Programa Nacional de Banda Larga – PNBL, cujo braço operacional é a Telebrás, abrange todas as cidades escolhidas como sedes para os eventos da FIFA. As controvérsias entre o Ministério das Comunicações e a entidade internacional foram pacificadas após longa negociação, e os resultados deverão ser estabelecidos em Memorando de Entendimento. A possibilidade de contratação de empresa controlada atende o previsto na Lei nº 12.350, de 20 de dezembro de 2010. As instalações, as redes e os equipamentos para a Copa das Confederações têm de estar disponíveis o mais breve possível.

A emenda nº 06, também do Deputado Ronaldo Caiado, pretende modificar o § 2º do art. 55 da Lei nº 12.663, de 2012, condicionando a dispensa de licitação para a contratação da TELEBRÁS ou controlada a que o preço contratado seja compatível com o praticado no mercado.


Entrevista do ministro Paulo Bernardo a correspondentes estrangeiros

MiniCom - 07/05/2013

Brasília, 07/05/2013 - Paulo Bernardo disse em entrevista a correspondentes estrangeiros que o processo de digitalização da televisão no Brasil prossegue tanto nas grandes redes transmissoras quanto nas pequenas estações do interior.

Entrevista_Estrangeiros_PB.jpg
Entrevista Estrangeiros PB(Foto: Herivelto Batista)


Esclareceu que cerca de 50% dos brasileiros já dispõem de conversor para TV digital e afirmou que a ideia é flexibilizar o prazo de junho de 2016 para o desligamento do sinal analógico. Segundo Bernardo, a proposta é antecipar nas grandes cidades o desligamento para 2015 e para as cidades menores aumentar o prazo para 2018.

O Ministro destacou que no setor de telecomunicações a grande preocupação é com a qualidade do serviço. "Tivemos um crescimento explosivo nos últimos anos" e destacou que desde a entrada em operação do 3G em 2008, o Brasil tem hoje em torno de 70 milhões de usuários entre celulares e modems. "O 3G cresceu mais de 100% entre 2011 e 2012 no Brasil e segundo a GSMA - associação mundial de telefonia móvel, nós vamos saltar desses 70 milhões de dispositivos que temos agora, para 130 milhões no final de 2014".

Bernardo destacou ainda as conexões máquina a máquina que crescem rapidamente no país e afirmou que o governo estuda medidas de redução de taxas de fiscalização para tornar mais barata a taxa desse serviço. "Estamos prevendo um grande crescimento nas conexões máquina a máquina com grande incentivo para telemedicina e outros serviços".

TECNOLOGIA 4G
O Ministro falou aos jornalistas sobre o lançamento da tecnologia 4G que começou a operar oficialmente nas seis cidades sede da Copa das Confederações no dia 30 de abril. Destacou que vinculada ao serviço de quarta geração de internet, as operadoras receberam a obrigação de investir na implantação da internet rural que deve começar a operar no ano que vem. "Temos esse período maior, este ano inteiro de "feriado" digamos assim, para as empresas terem tempo para desenvolver tecnologia de 4ª geração LTE para a frequência de 450Mhz, o nosso grande objetivo é popularizar o máximo a internet na área rural com qualidade, esse é o grande desafio", disse Bernardo.

COPA DO MUNDO
Bernardo esclareceu aos correspondentes que a Telebrás ficou encarregada de fazer uma parte dos trabalhos relativos a Copa do Mundo e já instalou um "anel metropolitano" de fibra óptica em todas as cidades da Copa das Confederações que dará o suporte pra geração das imagens da FIFA. "Todas as imagens vão ser feitas em cima da infraestrutura montada pela Telebrás e está em fase final a instalação de transmissão e recepção para celular 2G, 3G e 4G dentro dos estádios também".

MASSIFICAÇÃO DA INTERNET
Respondendo a uma pergunta sobre controle de preços de serviços de pacotes de internet, o ministro afirmou que os preços da internet no Brasil "não são regulados pelo governo, não temos política de controle de preço".

Acrescentou que o governo fez um movimento "grande e importante" em 2011 : a negociação de universalização de telefonia com as empresas concessionárias com a troca de metas a serem cumpridas como colocar orelhões, "coisas que já não faziam mais nenhum sentido" pelo compromisso de vender a internet com preço mais popular.

Segundo Bernardo, foi fixado em 35 reais o valor máximo a ser cobrado para uma velocidade mínima de 1 megabit/s. O ministro disse que este foi um "movimento importante já que em 2011 o preço médio girava em torno de 70 reais". Fez a ressalva de que em estados como São Paulo ou Paraná por exemplo, o valor era menor por ter infraestrutura, mas no interior do Brasil ou cidades no Norte ainda se paga entre 300 e 350 reais por conexões de menos de um megabit/s.

Então, a internet popular e os demais investimentos e medidas do Programa Nacional de Banda Larga, como as desonerações para modems, tablets e smartphones e para construção de modernização de redes de fibra óptica foram importantes para o crescimento do acesso e redução de preços. Segundo Bernardo, a União Internacional de Telecomunicações divulgou levantamento mostrando que de 2010 a 2011 os preços de telecomunicações no Brasil diminuíram 46% "Houve, de fato, uma queda específica e isso é responsável pelo crescimento do setor".
Receita divulga regras para isenção em investimentos em banda larga

Valor Econômico - 06/05/2013

BRASÍLIA - A Receita Federal divulgou nesta segunda-feira a Instrução Normativa (IN) 1.355, definindo condições para a habilitação das empresas ao Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (Repnbl-Redes).

A IN, publicada na edição de hoje do “Diário Oficial da União”, segue o Decreto 7.921/2013, divulgado em fevereiro, garantindo a isenção do PIS/Pasep, Cofins e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em projetos de implantação, ampliação ou modernização de redes de telecomunicações, que suportem acesso à internet em banda larga, incluídas estações terrenas satelitais.

As empresas devem apresentar os projetos buscando os benefícios até o dia 30 de junho, para o Ministério das Comunicações.

A norma da Receita “estabelece os procedimentos para habilitação e coabilitação” ao Repnbl-Redes.

Na ocasião do anúncio da desoneração, o ministro da Comunicações, Paulo Bernardo, o governo estimou renúncia fiscal em torno de R$ 6 bilhões, em cinco anos, com a isenção tributária sobre investimentos em banda larga a ser concedida pelo programa.
Telebras inaugura uma nova fonte de receitas operacionais

Insight - Laboratório de Ideias - 07/05/2013

Com ato governamental do Ministério das Comunicações, a Telebras, através da Telebras Copa, acaba de ser contratada, na prática, como prestadora oficial de serviços de telecomunicações para a Copa das Confederações, através de um mecanismo legal que dispensou o processo licitatório, com fundamento no parágrafo segundo do artigo 55 da Lei 12.663/2012 – a Lei Geral da Copa. Além disso, a Telebras Copa será beneficiada com isenção e suspensão do ICMS nas operações e prestações de serviços relacionadas com o evento.

Porém, a Copa das Confederações parece ser apenas o primeiro grande objetivo da Telebras. O projeto total vai muito além.

A estatal de banda larga está investindo R$ 200 milhões para o atendimento das necessidades de telecomunicações nas cidades que serão sede das duas próximas copas de futebol a acontecer no Brasil - das Confederações e do Mundo, sendo que quase todos os investimentos já foram feitos.

A empresa é responsável pela implantação da infraestrutura necessária para o fornecimento de redes de fibra ótica metropolitana, links satelitais nas estruturas-chave e ligação via rádio nos campos-base das seleções que participarão dos eventos, conforme determina a Matriz de Responsabilidades do governo nos eventos esportivos.

Os estádios selecionados terão conexões de Internet de pelo menos 50 gigabits. Essa capacidade permitirá atender as necessidades dos eventos e, posteriormente, estender a conexão à rede para a cidade respectiva e arredores. Ou seja, esses estádios servirão de base para a Telebras expandir sua oferta de Internet banda larga por cada uma dessas cidades.

O estabelecimento dessa infraestrutura gigantesca custou caro agora, mas possibilitará um retorno considerável no futuro, começando pela Copa das Confederações em junho, passando pela Jornada Mundial da Juventude em julho, pela Copa do Mundo de 2014, pela Olimpíada de 2016 e pela extensão do suporte de banda larga às respectivas cidades e seus entornos desde agora.

A resultante desse processo fará com que a Telebras disponha de uma sólida base estabelecida em cada uma dessas cidades, capazes de catapultar sua penetração em 12 dos maiores centros populacionais do País.

É importante frisar que os R$ 31,6 milhões que a empresa receberá em breve dizem respeito apenas aos serviços de telecomunicações e transporte de dados necessários à transmissão de áudio e vídeo da Copa das Confederações, que será realizada de 15 a 30 de junho em seis capitais brasileiras. Cada evento posterior gerará sua própria receita para a empresa, isso sem contar a prestação de uma gama de serviços diferenciados que será possibilitada às cidades-sedes a partir da infraestrutura que está sendo concluída.

A síntese final de tudo isso é que a Telebras está inaugurando uma nova e importante fonte de receitas operacionais que, ao lado dos grande contratos já firmados com o Exército, Presidência da República, Rede Nacional de Pesquisa (RNP), operadora SKY e outros que estão por vir, tenderá a impactar significativamente os próximos balanços da empresa.

Por fim, é sempre bom lembrar que o Brasil será o primeiro país a sediar um evento de porte mundial com a tecnologia celular de quarta geração, tornando-se uma verdadeira vitrine-laboratório para o setor de telecomunicações internacional.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

WSJ: Brazil's Telebras to Provide Data Service for Soccer Events 

Wall Street Journal - 06/05/2013

BRASILIA--Brazil's Telecomunicacoes Brasileiras SA, or Telebras (TELB4.BR), said Monday it will provide telecommunication and data services for the soccer Confederations Cup in June for 31.6 million Brazilian reais ($15.7 million).

The state-owned company was already in charge of providing telecommunication infrastructure to six new or renovated sports arenas that will host two major soccer events, this year's Confederations Cup and 2014's World Cup.

On top of that job, Telebras said Monday the country's Communication Ministry hired the firm to provide the services that will make possible broadcasting of matches around the world.

"We have the most robust network," said Telebras's CEO Caio Bonilha.

Telebras, a former telecommunications monopoly, was dormant since the 1998's privatization of telephone services in Brazil, but it was revived in 2010 with the mission of activating fiber-optic networks across the country's vast territory. More recently, it was put in charge of gearing up stadiums for the soccer tournaments, both organized by the sport's international body, FIFA.

Write to Paulo Trevisani at paulo.trevisani@dowjones.com

=====================================================================================
Telebras levará banda larga à Fifa na Copa das Confederações

Rede ligará estádios ao centro de produção de imagens da federação

IPNews - 06/05/2013

O Ministério das Comunicações (MiniCom) contratou a Telebras Copa para fornecer serviços de banda larga à Fifa, e garantir a transmissão dos jogos da Copa das Confederações, em junho, e o contrato pode chegar a R$ 31,6 milhões.

Os links totalizam 20 Gbps e vão conectar os estádios de Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG) e Recife (PE) ao centro de produção de imagens da Fifa, na capital mineira.

Os links prometem qualidade acima do praticado no mercado e atende as exigências da Federação, com disponibilidade de 99,9%. “O contrato é o reconhecimento do trabalho que estamos desenvolvendo, principalmente em levar uma banda larga de qualidade à população brasileira e, agora, com repercussão internacional. É uma grande oportunidade e desafio”, afirmou o presidente da Telebras, Caio Bonilha.

A estatal afirma que o trabalho de expansão da rede de fibra óptica para atender a demanda dos dois grandes eventos foi concluído.

==================================================

Transmissão da Copa das Confederações poderá custar até R$ 31,6 milhões ao Minicom

TIinside - 06/05/2013

A Telebras, por meio de sua empresa subsidiária Telebras Copa, foi contratada pelo Ministério das Comunicações para fornecer serviços de banda larga para a Fifa, a fim de garantir as transmissões dos jogos da Copa das Confederações. O contrato pode atingir o valor máximo de R$ 31,6 milhões. O extrato do contrato foi publicado na edição desta segunda, 6, do Diário Oficial da União (DOU).

Serão links que totalizam 20 Gbps, conectando cada um dos estádios participantes do evento que vai de 15 a 30 de junho – Salvador, Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília, Belo Horizonte e Recife – ao centro de produção de imagens da Fifa, localizado na capital mineira.

De acordo com a Telebras, esses links garantem uma qualidade acima do praticado hoje no mercado de telecomunicações, que, conforme exigência da Fifa, atingem o patamar mínimo de disponibilidade de 99,99%.

A Telebras Copa foi criada em 2 de outubro do ano passado pela estatal com o objetivo de prestar serviços de telecomunicações à Fifa durante a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014.
Telebras espera faturar até R$ 31,6 milhões com Copa das Confederações

Valor Econômico - 06/05/2013

SÃO PAULO - A Telebras divulgou comunicado hoje informando que a prestação de serviços de telecomunicações para a realização da Copa das Confederações envolverá o valor global de até R$ 31,6 milhões.

A estatal será contratada pelo Ministério das Comunicações, por meio da Telebras Copa, para o fornecimento de serviços de telecomunicações e transporte de dados necessários à transmissão de áudio e vídeo do evento, que será realizado de 15 a 30 de junho em seis capitais brasileiras.

Em comunicado divulgado em janeiro, a Telebras informou que vai investir R$ 200 milhões para o atendimento às necessidades de telecomunicações nas cidades que serão sede do evento e da Copa do Mundo de 2014.
========================================================

MiniCom pagará R$ 31,6 milhões à Telebras pelas transmissões de jogos

Valor corresponde apenas aos jogos da Copa das Confederações

Tele.Síntese - 06/05/2013

O Ministério das Comunicações publicou, nesta segunda-feira (6), a contratação da Telebras Copa para prestação do serviço de telecomunicações e de transporte de dados necessários à transmissão de áudio e vídeo dos jogos da Copa das Confederações, que começa dia 15 de junho. O contrato, que teve licitação dispensada, é no valor de R$ 31,6 milhões.

A dispensa de licitação foi fundamentada no parágrafo segundo do artigo 55 da Lei 12.663/2012 – a Lei Geral da Copa. O texto diz que é dispensável a licitação para a contratação, pela administração pública federal direta ou indireta, da Telebras ou de empresa por ela controlada, para realizar os serviços de telecomunicações. A lei diz ainda que a União, por meio da administração pública federal direta ou indireta, poderá disponibilizar, através de instrumento próprio, os serviços de telecomunicação necessários para a realização dos eventos.

Em outubro do ano passado, o conselho de administração da estatal aprovou a criação da empresa subsidiária Telebras Copa, com o objetivo a prestação de serviços de telecomunicações à Fifa durante a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014.

A empresa é responsável pela implantação da infraestrutura necessária para o fornecimento de redes de fibra ótica metropolitana, links satelitais nas estruturas chave e ligação via rádio nos campos base das seleções que participarão dos eventos, conforme determina a Matriz de Responsabilidades do governo nos eventos esportivos.
=======================================================

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. – TELEBRAS     
CNPJ N.º 00.336.701/0001-04      NIRE: 5330000223/1    
  
A Telebras (Telb3/Telb4 -BM&FBovespa) comunica aos seus acionistas e ao mercado que a Telecomunicações Brasileiras S.A., por meio da TELEBRAS COPA, será contratada pelo Ministério das Comunicações para fornecimento de serviços de telecomunicações e de transporte de dados necessários à transmissão de áudio e vídeo, no âmbito da realização do evento Copa das Confederações 2013, no valor global de até R$31,6 milhões.     

Brasília, 6 de maio de 2013.     
Bolivar Tarragó Moura Neto     
Diretor de Relações com Investidores     

domingo, 5 de maio de 2013

Brasil prepara amplia red de Internet

La conexión en los estadios mundialistas será la base para crecer la banda ancha por las ciudades; las sedes deportivas tendrán al menos 50 gigabits durante el mundial de futbol de 2014.


BRASILIA (AP) — Los estadios en las 12 ciudades brasileñas que recibirán el Mundial de 2014 contarán con conexiones de Internet de por lo menos 50 gigabits.Esa capacidad les permitirá atender las necesidades del máximo torneo futbolístico y posteriormente extender la conexión a la red por la ciudad y alrededores, según el Gobierno.

El ministro de las Comunicaciones, Paulo Bernardo Silva, aseguró que las conexiones ya están listas en las seis localidades que hospedarán en junio la Copa de las Confederaciones, una especie de preámbulo del Mundial en el que participarán ocho selecciones internacionales, y en los próximos meses estarán habilitadas en las otras seis.

"Para nosotros eso va a ser parte del legado del Mundial. Telebrás (empresa estatal de telecomunicaciones) está invirtiendo 100 millones de dólares en redes de fibra óptica en las regiones metropolitanas. Esos estadios van a servir de base para expandir Internet de banda ancha por las ciudades", declaró Silva en un encuentro con corresponsales extranjeros.

El presidente de Telebrás, Caio Bonilha, comentó que los estadios, centros de prensa, áreas de trabajo de la FIFA y áreas de entrenamiento estarán abastecidos con conexiones de Internet de banda ancha por encima de las necesidades calculadas por cada uno de esos puntos.

Además de los 50 gigabits aportados por Telebrás, habrá empresas privadas de telecomunicaciones que ofrecerán acceso a la red de computadoras, con lo que el total de acceso podría llegar a hasta los 100 gigabits en cada sede, según Bonilha.

La red ya está disponible en Belo Horizonte, Brasilia, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro y Salvador, que serán sede de la Copa de las Confederaciones en junio. La infraestructura será sometida a una prueba general el 15 de mayo, un mes antes del inicio del torneo.

De las restantes seis ciudades mundialistas, cinco ya cuentan con red de fibra óptica para llevar la instalación de banda larga a sus centros deportivos: Cuiabá, Curitiba, Natal, Porto Alegre y Sao Paulo.

Según Silva, la única ciudad que no cuenta con una red es Manaus, una ciudad industrial en el corazón de la Amazonia, donde en junio se concluirá la instalación de una red de transmisión eléctrica y fibra óptica que llevará Internet en mejores condiciones de las que recibe actualmente vía satelital.

La red que llevará Internet a esa ciudad debe ser complementada con una red de fibra óptica para extender el acceso de banda larga que debe estar habilitada en diciembre de 2013 o enero de 2014.

Según datos de 2011 (los últimos disponibles), hasta ese año 38% de los domicilios brasileños contaban con acceso a Internet, aunque según el ministro ese número podría alcanzar a 50% en la actualidad.

La meta del Gobierno es llegar a 90% de hogares con Internet de banda ancha en los próximos cuatro años.