quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Inova Telecom destina US$ 1 bi para expansão da banda larga no Brasil

Programa lançado pelo governo federal terá recursos repassados pelo BNDES, Finep e Funtel para financiar projetos de apoio à pesquisa, ao desenvolvimento e à inovação tecnológica no setor.


As empresas brasileiras do setor de telecomunicações vão ganhar um incentivo para desenvolver novas tecnologias. O Ministério das Comunicações (Minico) e o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI) lançaram ontem (18/12), em Campinas (SP), o Inova Telecom, programa de apoio à pesquisa, ao desenvolvimento e à inovação tecnológica no setor.

Para o ministro Paulo Bernardo, a expectativa é de que o Inova Telecom ajude a impulsionar projetos do governo como o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), as comunicações estratégicas e também da área de segurança.

"Precisamos de um plano para melhorar a cobertura de internet no País, de segurança na arquitetura das redes, de programas e softwares mais seguros, além de ferramentas e estudos que nos auxiliem nesse sentido. Assim, saio desta cerimônia com a expectativa e confiança de que os pesquisadores e órgãos que receberão estes recursos nos auxiliem nestes desafios", afirmou Bernardo.

O desenvolvimento de novos equipamentos e tecnologias por meio do programa será distribuído por quatro áreas temáticas: comunicações ópticas, comunicações digitais sem fio, redes de transporte de dados e comunicações estratégicas.

O orçamento inicial, de R$ 1 bilhão, será dividido em três linhas: financiamento (R$ 600 milhões), investimento (R$ 300 milhões) e subvenção/fomento (R$ 100 milhões).

A linha de investimento é uma novidade. Por meio dela, será criado um fundo de investimento por meio do qual o governo deverá se tornar acionista de empresas para ajudar a expandi-las. Os recursos deverão ser utilizados no período de quatro anos.

A linha de crédito é destinada tanto a operadoras de telecom e quanto a fornecedores de produtos e serviços. Poderão participar do processo empresas líderes, que possuam receita operacional bruta ou patrimônio líquido igual ou superior a R$ 30 milhões. As outras empresas que não se enquadrarem nesse requisito poderão participar como parceiras das empresas líderes.

A ideia é que as linhas de crédito incentivem a formação de uma cadeia que reúna as operadoras, grandes empresas fornecedoras de produtos e serviços, empresas de menor porte e Instituições Científicas Tecnológicas (ICTs). As operadoras de telecom, por exemplo, deverão apresentar planos com encomendas já pré-definidas com as empresas.

Fonte dos recursos

A maior parte dos recursos iniciais do programa é proveniente do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), que vai entrar com R$ 640 milhões. Os R$ 360 milhões restantes serão da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

A previsão é de que o lançamento do edital do Inova Telecom ocorra no início de 2014. O programa é uma parceria do Minicom, MCTI, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e Anatel.

A operacionalização do programa envolve Funttel, Finep e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O Inova Telecom integra o Plano Inova Empresa, lançado pelo Governo Federal em março, com um total de R$ 32,9 bilhões para 2013 e 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.