terça-feira, 2 de julho de 2013

Telebras faz acordo com Cemig Telecom para capilarizar rede em Minas

Tele.Síntese - 02/07/2013

O acordo envolve troca de capacidade de rede; a Telebras fornece sua rede fora de Minas e usa a rede da Cemig Telecom em território mineiro.

Embora seu backbone já corte Minas Gerais, com ligação a partir de Brasília e, ainda este ano, com interconexão entre Belo Horizonte e Vitória, no Espírito Santo, a Telebras tem uma capilaridade muito limitada para atender à demanda dos mais de 700 municípios mineiros. Para conseguir ampliar seus pontos de presença firmou uma parceria com a Cemig Telecom, que tem licença para atuar apenas em Minas Gerais.

Nós vamos fazer troca de capacidade. Vamos oferecer nossa rede para entregar o tráfego para a Cemig Telecom em Minas Gerais a partir de diversos pontos do país, e vamos usar a rede da Cemig Telecom para poder levar nosso ponto de presença para cobrir um número maior de municípios mineiros”, informou Luiz Vergueiro, gerente comercial de PNBL da Telebras, que participou hoje do primeiro painel do Seminário Provedores Regionais em Belo Horizonte, promovido pela Bit Social.

Cobrado por Silvana Veloso, representante de Rio Acima, município a 38 quilômetros de Belo Horizonte que foi contemplado no primeiro edital de Cidades Digitais do Ministério das Comunicações, sobre a falta da oferta de link pela estatal, Vergueiro explicou que, infelizmente, a Telebras não tem cobertura para atender a todos os municípios contemplados no primeiro edital. Para evitar que tenham como única opção o link da concessionária local, normalmente com preços elevados, informou que, após acordo com o Ministério das Comunicações, a Telebras vai fazer um chamamento aos provedores regionais das cidades contempladas para fazer uma PPP com quem se interessar em atender ao município contemplado dentro do parâmetro de preço estabelecido. A primeira parceria nesses moldes foi feita entre Telebras e provedor local para atender Conceição do Araguaia, no Pará.

Cemig

Também a Cemig Distribuidora, uma das 130 empresas do grupo Cemig que comprou várias distribuidoras pelo país, está empenhada em usar sua infraestrutura de rede para conectar municípios mineiros incluídos no programa Cidades Digitais ou no programa Olho Vivo, do governo de Minas Gerais, de viodemonitoramento, envolvendo 20 cidades. “Nosso planejamento de expansão é feito para atender às necessidades de automação de nossa rede, mas estamos trabalhando para atender a esses programas públicos. No caso do viodeomonitoramento firmamos um acordo com a Polícia Militar, através do qual fazemos a conexão”, explicou Naara da Rocha Torres, gestora de controle e gestão de compartilhamento de infraestrutura da Cemig Distribuidora, também presente ao debate, que contou ainda com a presença de Artur Coimbra, diretor de Banda Larga da Secretaria de Telecomunicações do Minicom. Ele defendeu a importância do compartilhamento de infraestrutura para reduzir custos e dar vazão ao aumento de tráfego.

O Encontro Provedores Regionais de Belo Horizonte reuniu mais de 80 provedores de acesso à internet e serviços de telecomunicações de 38 cidades mineiras de diferentes regiões do estado. Patrocinado pelo BNDES, Sebrae e Padtec, o seminário, o segundo de uma série de quatro, contra ainda com o apoio da Furukawa e o apoio institucional da Abrint e da Telebras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.