terça-feira, 7 de maio de 2013

Telebras inaugura uma nova fonte de receitas operacionais

Insight - Laboratório de Ideias - 07/05/2013

Com ato governamental do Ministério das Comunicações, a Telebras, através da Telebras Copa, acaba de ser contratada, na prática, como prestadora oficial de serviços de telecomunicações para a Copa das Confederações, através de um mecanismo legal que dispensou o processo licitatório, com fundamento no parágrafo segundo do artigo 55 da Lei 12.663/2012 – a Lei Geral da Copa. Além disso, a Telebras Copa será beneficiada com isenção e suspensão do ICMS nas operações e prestações de serviços relacionadas com o evento.

Porém, a Copa das Confederações parece ser apenas o primeiro grande objetivo da Telebras. O projeto total vai muito além.

A estatal de banda larga está investindo R$ 200 milhões para o atendimento das necessidades de telecomunicações nas cidades que serão sede das duas próximas copas de futebol a acontecer no Brasil - das Confederações e do Mundo, sendo que quase todos os investimentos já foram feitos.

A empresa é responsável pela implantação da infraestrutura necessária para o fornecimento de redes de fibra ótica metropolitana, links satelitais nas estruturas-chave e ligação via rádio nos campos-base das seleções que participarão dos eventos, conforme determina a Matriz de Responsabilidades do governo nos eventos esportivos.

Os estádios selecionados terão conexões de Internet de pelo menos 50 gigabits. Essa capacidade permitirá atender as necessidades dos eventos e, posteriormente, estender a conexão à rede para a cidade respectiva e arredores. Ou seja, esses estádios servirão de base para a Telebras expandir sua oferta de Internet banda larga por cada uma dessas cidades.

O estabelecimento dessa infraestrutura gigantesca custou caro agora, mas possibilitará um retorno considerável no futuro, começando pela Copa das Confederações em junho, passando pela Jornada Mundial da Juventude em julho, pela Copa do Mundo de 2014, pela Olimpíada de 2016 e pela extensão do suporte de banda larga às respectivas cidades e seus entornos desde agora.

A resultante desse processo fará com que a Telebras disponha de uma sólida base estabelecida em cada uma dessas cidades, capazes de catapultar sua penetração em 12 dos maiores centros populacionais do País.

É importante frisar que os R$ 31,6 milhões que a empresa receberá em breve dizem respeito apenas aos serviços de telecomunicações e transporte de dados necessários à transmissão de áudio e vídeo da Copa das Confederações, que será realizada de 15 a 30 de junho em seis capitais brasileiras. Cada evento posterior gerará sua própria receita para a empresa, isso sem contar a prestação de uma gama de serviços diferenciados que será possibilitada às cidades-sedes a partir da infraestrutura que está sendo concluída.

A síntese final de tudo isso é que a Telebras está inaugurando uma nova e importante fonte de receitas operacionais que, ao lado dos grande contratos já firmados com o Exército, Presidência da República, Rede Nacional de Pesquisa (RNP), operadora SKY e outros que estão por vir, tenderá a impactar significativamente os próximos balanços da empresa.

Por fim, é sempre bom lembrar que o Brasil será o primeiro país a sediar um evento de porte mundial com a tecnologia celular de quarta geração, tornando-se uma verdadeira vitrine-laboratório para o setor de telecomunicações internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.