segunda-feira, 29 de abril de 2013

TIM conclui instalação de quase 1,5 mil km de fibra na região Norte

Projeto teve parceria com a Telebras e Vivo

Teletime - 29/04/2013

Faltam apenas 260 km de fibras óticas OPGW a serem implantados para a conclusão do backbone de R$ 200 milhões que a TIM está implementando para interligar 27 municípios do Amazonas, Amapá e Pará. A operadora anunciou nesta segunda-feira, 29, que já foram concluídos os dois maiores trechos do projeto LT Amazonas, que somam 1.414 km de fibras óticas OPGW, e outros 73 km da terceira e última etapa, totalizando 1.487 km implantados de um total de 1.747 km previstos para o backbone da região Norte.
Inicialmente previsto para ser concluído em agosto, a expectativa é de que as obras dos 260 km restantes terminem em julho e o que a operação tenha início já no começo do segundo semestre. O LT Amazonas pretende aumentar em cem vezes a capacidade de rede de transmissão na região, melhorar a qualidade dos serviços de dados móveis e permitindo a oferta de serviços 4G na cidade de Manaus, que será uma das sedes da Copa do Mundo 2014.

TIM conclui projeto para levar fibra óptica à região Norte em agosto

Teletime - 26/03/2013

A TIM está investindo R$ 200 milhões para levar cabos de fibra óptica OPGW (Optical Ground Wire) para 27 cidades nos estados do Amazonas, Pará e Amapá. De acordo com o diretor de redes da TIM, Cícero Olivieri, o projeto será concluído em agosto, e tem objetivo de melhorar a qualidade dos serviços de dados móveis na região e permitir a oferta de serviços 4G na cidade de Manaus, que será uma das sedes da Copa do Mundo 2014.
Serão instalados 1,8 mil quilômetros de fibra, acompanhando extensão da linha de transmissão de energia construída pela Isolux Infrastructure na região, que será entregue ainda no primeiro semestre de 2013. O valor gasto pela TIM também financiará 560 quilômetros de cabos subterrâneos para interligar estações da linha de transmissão com as cidades. A concessão para uso da linha tem duração de 20 anos, e pode ser prorrogada por mais 20 anos. “Ele (investimento) se viabiliza por causa do retorno a longo prazo”, disse Olivieri.
De acordo com a TIM, já existe acordo para compartilhamento da infraestrutura com Telebrás e Vivo. Em troca, a Vivo será responsável por parte do investimento no projeto realizado nas cidades da região Norte, enquanto a estatal cederá pares de fibras de mesma quilometragem em trechos no interior do Norte e Nordeste.
Preços competitivos
O valor total do investimento na construção de infraestrutura é de R$ 2,5 bilhões e a estimativa é que 7,5 milhões de pessoas terão acesso à comunicação mais rápida. Rogério Takayanagi, presidente da TIM Fiber, explicou que a fibra é uma maneira de fazer o serviço chegar em uma região muito servida por satélite. Para ele, a oferta terá implicações nos preços praticados para os serviços de telecomunicações na região. “Quando você viabiliza o acesso, você alinha os preços da região Norte com o resto do País”, explica o executivo, dando alguns exemplos comparativos. Ele mencionou, por exemplo, que a Internet fixa mais cara do Brasil está no Macapá. “A TIM faz esse desenvolvimento não só para a TIM. Outros operadores vão oferecer conexão e a competição leva o preço para baixo”, observa.
O canal Discovery Channel registrou os desafios enfrentados nas obras de implantação da fibra. O material foi usado na produção de um episódio especial da série Como se Resolve, que será exibido no dia 2 de abril à meia noite (de segunda para terça-feira).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.