segunda-feira, 15 de abril de 2013

Por cidades sustentáveis, prefeituras partem para redes próprias de telecom

Convergência Digital :: 15/04/2013

A conectividade virou pilar para os projetos de gestão pública de longo prazo, assumiram os gestores que participaram do Forum de Líderes Governamentais, realizado na semana passada no Rio de Janeiro pela Microsoft. Um bom exemplo vem aqui do Brasil.

O prefeito de Goiania, Paulo Garcia (PT), quer que a capital de Goiás entre nos próximos 10 anos no ranking das 10 cidades sustentáveis no mundo. Para isso, um projeto está em andamento: a construção de uma rede própria de telecom. A licitação - que envolverá fibra óptica e Wi-Fi já está sendo desenhada e acontecerá ainda neste semestre.

Indagado do porquê de partir para uma rede própria, Garcia fez críticas às teles. "Elas não estão correspondendo a nossa demanda. Não têm como nos atender nos prazos solicitados. Por isso, uma rede própria. Além disso queremos o wi-fi gratuito em áreas públicas", salientou o prefeito. O Governo do Paraná também se mobiliza por rede própria de telecom.

Também presente ao Forum de Líderes Governamentais, o governador Beto Richa (PSDB/PR), destacou a importância de 'cobrir' os municípios com rede própria de fibra óptica. Segundo dados do Estado, hoje, a rede própria já cobre os 399 municípios, pelo menos em parte. "As escolas estaduais (2160) já estão conectadas com rede de fibra óptica. Esse é um começo. Queremos mais", destacou o governador, que também usa a rede da Copel, distribuidora de energia do estado.

Na América Latina, há também um olhar especial para a banda larga. Luís Fernando Arboleda, presidente do FINDETER, o BNDES da Colômbia, deixou claro que parte dos investimentos previstos para os próximos cinco anos - algo em torno de US$ 4 bilhões - vai para reforçar a conectividade. "Já conectamos 551 municípios com uma rede própria de mais de 15 mil Kms. Temos Wi-fi e a certeza que massificar a banda larga é o melhor caminho para o desenvolvimento econômico, social e político", completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.