segunda-feira, 8 de abril de 2013

Para levar internet banda larga a todo o Brasil, satélite será lançado no fim de 2014

Engenharia é - 07/04/2013

Parece que as regiões mais distantes do Brasil estão contando os dias para se tornarem informatizadas. De acordo com o site de planejamento do governo no final de 2014 ou inicio de 2015 estará sendo lançado o primeiro satélite genuinamente brasileiro, visto que, atualmente o Brasil utiliza tecnologia estrangeira para esse fim.

O projeto foi apresentado em 2012 e foi orçado em R$720 milhões, sendo 20% desse valor orçado somente para o lançamento, e já há sete grupos internacionais interessados em participar do nosso projeto, fornecendo peças. Essa concorrência é considerada atualmente como a maior na área espacial da America do Sul. Estão sendo representados com duas empresas a Europa, com três os EUA, uma do Japão e outra da Rússia.

O satélite irá operar em banda X (faixa de frequência de transmissão dos dados), para as comunicações estratégicas do governo, com cobertura regional (Brasil), América Latina e Oceano Atlântico, usando cinco transponders (sistema que converte o sinal recebido do satélite para outra frequência determinada). Para as comunicações em banda larga usará a banda Ka, esse sinal será recebido pelos provedores autorizados e daí será distribuído para as residências de acordo com o plano de cada provedor com o cliente.
banda_larga_movel_1024

Segundo Himilcon de Castro Carvalho da Agência Espacial Brasileira a construção do satélite esta a cargo de uma sociedade formada entre a Telebrás (49%) e a Embraer (51%), essa sociedade estará encarregada de escolher fornecedores e também os serviços de lançamento do satélite.
Marcos Castelo Branco do CPqD que ainda no governo Lula foi discutido sobre as funções do satélite, que teria diversas aplicações, entre elas: meteorologia, controle aeronáutico, segurança pública e aplicações estratégicas e militares de governo. Agora no governo Dilma houve algumas alterações nas suas funcionalidades e o satélite ficará restrito a dois focos, o acesso a banda larga e aplicações militares.
A Agência espacial brasileira esta programando para 2019 o lançamento de outro satélite para estudar o clima do Oceano Atlântico e suas alterações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.