quinta-feira, 28 de março de 2013

Backbone de fibra da TIM na Amazônia será usada pela Vivo, além da Telebras

Mediatelecom - 27/03/2013

TIM tem mostrado disposição de avançar nas negociações para ampliação de seu backbone de fibra óptica no país. Além do acordo com a Telebras, anunciado no ano passado, a operadora informou nesta terça-feira (26) que a rede de transporte que utiliza a rede elétrica interligando as cidades de Tucuruí (PA), Macapá (AP) e Manaus (AM) também será usada pela Telefônica/Vivo.

A rede chamada LT Amazonas, construída juntamente com uma rede elétrica em parceria com a Isolux Infrastructure e Manaus Transmissora, custou à TIM R$ 200 milhões (o investimento total do projeto é de R$ 2,5 bilhões) e deverá ficar pronta em outubro. A operadora ainda terá que ligar os 27 municípios que atravessa ao backbone, área com 7,5 milhões de habitantes, o que significa instalar 560 km de fibra óptica.

Com a rede pronta, a TIM, em primeiro lugar, deverá escoar o tráfego de dados da rede móvel e, juntamente, iniciar a oferta de banda larga fixa por meio da TIM Fiber. “A banda larga fixa na região é muito cara, tem um diferença de preço muito grande. Podemos dizer que a banda larga de Macapá é uma das mais caras do Brasil porque é usada a conexão via satélite: 200 Kbps custam cerca de R$ 400. Com nossa rede instalada, podemos oferecer o que estamos entregando hoje em São Paulo e Rio de Janeiro, 35 Gbps por R$ 59,90”, afirma Rogério Takanayagi, presidente executivo da TIM Fiber.

Os projetos da TIM para construção do backbone de fibra no país são audaciosos. Pelo planejamento da companhia, entre 2013 e 2014, mais R$ 200 milhões serão investidos para que a espinha dorsal da rede passe de 39 mil km de fibra para 60 mil km de fibra óptica. Recentemente, a TIM ativou a conexão de Brasília (DF) a Belém (PA), em outubro concluirá a LT Amazonas e já existem planos para ligar Belém a Fortaleza, um ponto muito importante por conta dos cabos de conexão submarina.

“Já temos hoje um backbone que liga o sudeste a Fortaleza. O trecho São Luiz (MA), Teresina (PI), Fortaleza (CE) foi entregue. Deveremos ligar Belém a Fortaleza ainda este ano, que significará um novo nível de contingência para o serviço. Como a rede que vai de Brasília a Belém tem diversas dificuldades de manutenção, com algumas quedas, a nova conexão o nível do serviço vai melhorar significativamente”, afirmou Cícero Olivieri, diretor de redes da TIM.  

Uma das opções da TIM para ligar o norte ao nordeste é utilizar uma parte da rede da Telebras. Aliás, no planejamento de construção do backbone da TIM, as parcerias parecem ser cada vez mais consideradas e - diante da grande necessidade de investimento no país tanto para implantação da rede LTE como para suprir a maior demanda por transmissão de dados – bem recebidas.

Os planos de investimento da TIM para ligar o backbone do Centro-Oeste brasileiro com a rede na região norte estão sendo negociados com a empresa de longa distância do grupo América Móvil, aEmbratel.

A ligação de Campo Grande até Cuiabá está prevista para 2013. No ano que vem, a ligação deverá ser entre Cuiabá e Porto Velho (RO) e, em 2016, o fechamento de Manaus (AM) com Porto Velho, o que siginificaria fechar seu backbone no país pelo noroeste, criando mais uma via de transporte de dados ligando o sul e sudeste do país ao norte, mas dessa vez sem passar pelo litoral, onde tradicionalmente se concentra a infraestrutura de telecomunicações brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.