sábado, 21 de julho de 2012

Himilcon Carvalho será o diretor de tecnologia da Visiona

Teletime - 20/07/2012

A Visiona, nome dado à empresa constituída pela joint venture entre Embraer e Telebrás para conduzir o projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas - SGDC, deve ganhar em breve o seu diretor de tecnologia. Será o engenheiro Himilcon de Castro Carvalho, diretor de Política Espacial e de Investimentos Estratégicos da AEB, a Agência Espacial Brasileira. 

A Visiona será a responsável pela integração do satélite e por absorver a tecnologia das empresas contratadas para a contrução da plataforma satelital. A expectativa é que a primeira RFP de contratação do satélite saia até meados de agosto. O nome de Himilcon já está na Casa Civil aguardando a aprovação do governo.

No final de junho foram criados o Comitê Diretor e o Grupo Executivo que conduzirão, pelo governo, o trabalho de especificação do projeto e aprovação das propostas.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Telebras anuncia banda larga para pequenas e médias empresas

Valor Econômico - 19/07/2012

RIO - A estatal Telebras anunciou nesta quinta-feira lançamento de plano de fornecimento de Internet banda larga específico para pequenas e médias empresas de 147 municípios brasileiros. A empresa discutirá nas próximas semanas com cerca de 800 provedores o fornecimento de um plano de 15 megabytes a preço inferior ao oferecido pelo mercado, de acordo com cálculos da estatal.

O objetivo, de acordo com a Telebras, é fazer com que o setor privado acompanhe redução de preços, como ocorreu no caso do Plano Nacional de Banda Larga, que tinha como alvo os clientes pessoa física. Os municípios que serão contemplados no lançamento são “precariamente” atendidos pelo setor privado, de acordo com análise da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Estudo da Firjan sobre o tema aponta que “o serviço oferecido no país ao setor empresarial é caro, lento e pouco abrangente em termos geográficos”. A estatal não listou os municípios onde prestará o serviço, apenas afirmou que mais de 80 estão em São Paulo.

O plano anunciado nesta quinta-feira é fruto de uma proposta apresentada pela Firjan ao Ministério das Comunicações em março do ano passado, na qual sugeriu que o Plano Nacional de Banda Larga contemplasse o Pacote Empresarial Essencial, específico para empresas.

Segundo o presidente da Telebras, Caio Bonilha, o projeto anunciado hoje atingirá um universo de 260 mil empresas, especialmente no eixo Rio-São Paulo, representando 50% do setor empresarial brasileiro.

“Vamos dar sequência a esse trabalho de levar a banda larga ao setor produtivo. A presidente Dilma Rousseff considera essencial o apoio da Telebras, como responsável pela infraestrutura do sistema de telecomunicações”, declarou.

A previsão é que em 2012 a Telebras invista R$ 400 milhões em ampliação de rede de infraestrutura, número que deve chegar a R$ 1 bilhão em 2013. No ano passado, a empresa investiu R$ 80 milhões.

“Esse aumento dos investimentos vai ao encontro do objetivo do governo federal de acelerar economia brasileira”, declarou Bonilha.
Telebrás lança banda larga corporativa


Estatal vai investir R$ 400 milhões em infraestrutura este ano e R$ 1 bi em 2013

O Globo - 20/07/2012

A Telebrás anunciou ontem um plano de internet banda larga de alta velocidade para atender pequenas e médias empresas em 147 municípios do país. Na próxima semana, a estatal começa a negociar a oferta do serviço com os provedores de internet aptos a atender o consumidor final. O pacote atende proposta apresentada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) ao Ministério das Comunicações e tem potencial para beneficiar 260 mil indústrias instaladas nas cidades mapeadas.

De acordo com o presidente da estatal de telefonia, Caio Bonilha, o lançamento é mais um esforço do governo federal em alavancar o setor produtivo e, assim, elevar o patamar de crescimento da economia em 2012. O plano de investimento da Telebrás em todo o ano passado foi de R$ 80 milhões, bem abaixo dos R$ 400 milhões previstos para este ano. Em 2013, os investimentos da empresa devem atingir a cifra de R$ 1 bilhão.

- Com certeza esta é mais uma ação do governo para estimular o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto). A presidente Dilma Rousseff considera essencial o apoio da Telebrás, que é a responsável pela infraestrutura do sistema de telecomunicações - disse Bonilha.

Custo do serviço ainda não está definido


O pacote vai dar prioridade ao atendimento a polos de concentração industrial, apontados em levantamento entregue a Bonilha pelo presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira. O produto permitirá que pequenas e médias empresas tenham acesso a internet banga larga com velocidade de 15 megabits por segundo de tráfego para download. O custo do serviço será definido após as reuniões entre a Telebrás e os provedores, mas a expectativa é que fiquem abaixo do valor de mercado.

O esforço da estatal para melhorar a infraestrutura de telecomunicações também vai beneficiar usuários das operadoras de telefonia, incluindo as que foram punidas pela Anatel. De acordo com Bonilha, a empresa negocia a oferta de um produto que vai melhorar a capacidade de tráfego das operadoras 3G e 4G. Uma delas já teria manifestado o interesse no serviço.

- As operadoras poderão usar a rede de fibra óptica da Telebrás para incrementar sua capacidade. Podemos ajudar a melhorar a qualidade do serviço.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Firjan e Telebras anunciam plano de internet banda larga para empresas

Monitor Mercantil - 19/07/2012

O presidente do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, e o presidente da Telebras, Caio Bonilha, se reuniram nesta quinta-feira para anunciar a criação de um produto específico de internet banda larga de alta velocidade para o setor corporativo, tendo como prioridade o atendimento a pólos de concentração industrial.

Em março do ano passado, a Firjan apresentou um conjunto de propostas ao ministério das Comunicações, sugerindo que o Plano Nacional de Banda Larga contemplasse o Pacote Empresarial Essencial, direcionado para empresas. Com velocidade de 15 megabits por segundo (15 Mbps) de tráfego para download, com garantia de banda mínima de 20% em relação à velocidade de download contratada, o plano terá preços competitivos internacionais, com isenção de ICMS, para os municípios de alta concentração industrial no país.O mapeamento desses municípios, produzido em parceria com a Fiesp, considerou pelo menos duas, das três características a seguir: mais de 700 indústrias de micro, pequeno ou médio porte; mais de três grandes indústrias; ou valor adicionado bruto da indústria acima de R$ 1 bilhão.

- O encontro de hoje marca o resultado desse trabalho. Entrego ao presidente da Telebras a lista do mapeamento de pólos industriais do Rio e de São Paulo, com 147 municípios que abrigam mais de 260 mil indústrias, 51% do total nacional - afirma Eduardo Eugenio.

Para a Telebras, oferecer esse serviço era assunto prioritário.

- O Governo Federal entende que proporcionar estrutura para o setor produtivo é de extrema importância. Por isso, o lançamento de um produto de internet de alta velocidade para o setor industrial estava nas nossas prioridades - enfatizou Caio Bonilha.

A empresa de telecomunicação vai disponibilizar o serviço ainda este ano.

- É um produto que não existe no mercado, será oferecido para todo o Brasil e terá preços acessíveis, que vamos estudar com os provedores de internet - completa o presidente da Telebras.

A definição do pacote foi baseada em análises sobre a necessidade de banda larga para a utilização de aplicativos disponíveis no mercado mundial, como os relacionados a vídeo conferência e comércio eletrônico. O acesso à internet com eficiência permite às empresas usufruir de tecnologias que incrementem produtividade e garantam competitividade, com suporte a sistemas corporativos e de comunicação.

Elaborado pelas Firjan também no ano passado, o estudo "Quanto custa o acesso à internet para as empresas no Brasil?" identificou que o serviço oferecido no país ao setor empresarial é caro, lento e pouco abrangente em termos geográficos.

Na comparação internacional dos preços para pacotes com velocidades de 1 Mbps, o Brasil é o sétimo mais caro do mundo, com um custo médio de US$ 42,80 (equivalente a R$ 70,85), bem acima de Alemanha (US$ 9,3), México (US$ 16,5) e Colômbia (US$ 16,7) e ainda maior que Suíça (US$ 36) e EUA (US$ 40).

O estudo revelou ainda surpreendente variação de preços entre as 27 unidades da federação do país, evidenciando a urgente necessidade de investir em infra-estrutura física para equalizar as diferenças e melhorar a qualidade do serviço prestado.
Telebras vende infraestrutura para melhorar serviço 3G das teles

Convergência Digital :: 19/07/2012

A Telebras pretende investir R$ 1 bilhão de reais em 2013 e mais 1 bilhão de reais em 2014 na ampliação da sua rede e sua infraestrutura no país, afirmou o presidente Caio Bonilha, nesta quinta-feira, 19/07, a jornalistas, em evento na Firjan, no Rio de Janeiro.

Bonilha disse ainda que a companhia negocia a oferta de serviço para incrementar a capacidade de redes 3G com uma das operadoras punidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) na quarta-feira.

A Telebras investiu R$ 80 milhões em 2011 e a previsão para este ano é de aproximadamente R$ 400 milhões. A prioridade da empresa é investir em regiões onde há demanda por serviços de banda larga e onde as grandes operadoras do país tem pouca penetração, segundo Bonilha.

O executivo disse que desde fevereiro, a Telebras vem desenvolvendo um produto, o VPN (Rede Privada Virtual), que está disponível ao mercado há duas semanas. Segundo ainda Bonilha, uma das operadoras punidas com a proibição de vendas de novas linhas na quarta-feira pela Anatel por problemas na qualidade do serviço oferecido a seus clientes já está em negociação para adquirir o novo produto. TIM, Oi e Claro foram as companhias punidas, mas Bonilha não disse com qual delas a Telebras está negociando.

Bonilha frisou que o sistema poderá ajudar as operadoras de telefonia a aumentar e melhorar a capacidade das suas redes 3G e 4G. "Um dos grandes problemas que as operadoras de celulares têm, é o backhaul, que é a interligação entre a estação básica e a central de controles da operadora. É nisso que a gente quer entrar e pode auxiliar nesse esforço de melhora da qualidade dos serviços das operadoras", explicou.

"O grande problema hoje é banda larga, Internet e 3G. Nisso nós podemos ajudar bastante. As operadoras podem usar a rede da Telebras para incrementar a capacidade de sua rede. Já estamos em negociação com uma operadora e esperamos que agora a gente acelere essa negociação", completou.
Telebrás quer investir R$1 bi em 2013 e R$1 bi em 2014

Reuters - 19/07/2012

A Telebrás pretende investir 1 bilhão de reais no ano que vem e mais 1 bilhão de reais em 2014 na ampliação da sua rede e sua infraestrutura no país, afirmou o presidente Caio Bonilha, nesta quinta-feira, a jornalistas.

Bonilha disse ainda que a companhia negocia a oferta de serviço para incrementar a capacidade de redes 3G com uma das operadoras punidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) na quarta-feira.

A Telebrás investiu no ano passado 80 milhões de reais e a previsão para este ano é de aproximadamente 400 milhões de reais. A prioridade da empresa é investir em regiões onde há demanda por serviços de banda larga e onde as grandes operadoras do país tem pouca penetração, segundo Bonilha.

O executivo disse que desde fevereiro, a Telebrás vem desenvolvendo um produto, o VPN (Rede Privada Virtual), que está disponível ao mercado há duas semanas.

Segundo ele, uma das operadoras punidas com a proibição de vendas de novas linhas na quarta-feira pela Anatel por problemas na qualidade do serviço oferecido a seus clientes já está em negociação para adquirir o novo produto. TIM, Oi e Claro foram as companhias punidas, mas Bonilha não disse com qual delas a Telebrás está negociando.

Bonilha frisou que o sistema poderá ajudar as operadoras de telefonia a aumentar e melhorar a capacidade das suas redes 3G e 4G.

"Um dos grandes problemas que as operadoras de celulares têm, é o backhaul, que é a interligação entre a estação básica e a central de controles da operadora. É nisso que a gente quer entrar e pode auxiliar nesse esforço de melhora da qualidade dos serviços das operadoras", explicou.

"O grande problema hoje é banda larga, Internet e 3G. Nisso nós podemos ajudar bastante. As operadoras podem usar a rede da Telebrás para incrementar a capacidade de sua rede. Já estamos em negociação com uma operadora e esperamos que agora a gente acelere essa negociação", disse.

Bonilha falou após participar de cerimônia na Firjan sobre a criação de um produto de Internet Banda Larga de alta velocidade para o setor corporativo brasileiro.
Punição a operadoras ajuda a Telebras, diz presidente


Veja - 19/07/2012

Rio - A punição de operadoras de telefonia pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) poderá ajudar a Telebras a fechar contratos de fornecimento de serviços que auxiliem as companhias a atender às exigências de qualidade da agência reguladora. A opinião é do presidente da empresa, Caio Bonilha.

Segundo ele, já está em negociação um acordo que prevê a interligação de antenas solares às centrais de operação de uma das telefônicas punidas, o que poderá contribuir para a melhoria do serviço prestado em 3G e 4G. Bonilha não revelou o nome da empresa, mas disse esperar que a punição pela Anatel acelere a contratação.

Para prestar este tipo de serviço de interligação de rede, a Telebras não precisará investir em infraestrutura além do previsto no Plano Nacional de Banda Larga, cujo valor para este ano será de R$ 400 milhões. Em 2013, serão investidos R$ 1 bilhão e, em 2014, mais R$ 1 bilhão. Estes recursos fazem parte do plano do governo federal de estimular o crescimento da economia. "Principalmente porque a Telebras exige a compra de um porcentual mínimo de produtos nacionais", ressaltou Bonilha.

Entre as prioridades estão os investimentos nas cidades que sediarão os jogos da Copa do Mundo 2014, como Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. Projetos de instalação de rede de fibra ótica já estão concluídos, e a expectativa é de que algumas obras nestas cidades sejam concluídas ainda em 2012.
Bonilha elogia pacote de banda larga para a indústria

Agência Estado - 19/07/2012

A criação de um produto específico de internet banda larga para indústrias pela Telebras foi classificada pelo presidente da empresa, Caio Bonilha, como uma das medidas do governo federal de incentivo ao setor produtivo e, consequentemente, à economia. Como parte do Plano Nacional de Banda Larga, o Pacote Empresarial Essencial oferecerá banda larga com velocidade de 15 megabits por segundo (Mbps) de tráfego para download, com garantia de banda mínima de 20% em relação à velocidade de download contratada.

"Onde o setor privado está atendendo não é prioridade investir. Neste caso, o objetivo da Telebras é levar banda larga a regiões onde sequer há a disponibilidade do serviço", afirmou Bonilha, citando o município paulista de Araçatuba, onde a Petrobras está instalando uma unidade operacional e que que não possui acesso à banda larga.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, entregou nesta quinta-feira ao presidente da Telebras uma lista de 147 municípios brasileiros onde será necessário a prestação do serviço. Deste total, 51 são do Estado de São Paulo e 15, do Rio de Janeiro. Em todo o País, deverão ser beneficiadas 260 mil indústrias. A prestação do serviço é uma reivindicação conjunta da Firjan e da Federação da Indústria de São Paulo (Fiesp), que reclamam do custo e da qualidade do acesso à internet para empresas no Brasil.

A tarifa a ser cobrada ao consumidor ainda dependerá da negociação da Telebras com associações de empresas provedoras de internet, estas sim fornecedoras do serviço para o cliente final. Bonilha informou que uma série de reuniões estão agendadas para discutir preços mínimos e máximos a serem cobrados pelo acesso à banda larga. "A experiência nos mostrou que a atuação da Telebras vem induzindo o setor a reduzir preços", afirmou o executivo, após participar de reunião com o presidente da Firjan.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

FIRJAN e Telebras discutem atendimento de internet banda larga para empresas

Maxpress - 18/07/2012

O presidente da FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, e o presidente da Telebras, Caio Bonilha, se reúnem amanhã, quinta-feira, 19 de julho, para anunciar a criação de um produto específico de internet banda larga de alta velocidade para o setor corporativo.

EVENTO: APRESENTAÇÃO DE PACOTE DE BANDA LARGA PARA SETOR EMPRESARIAL
DATA: QUINTA-FEIRA, DIA 19 DE JULHO
HORÁRIO: 13H
ENDEREÇO: FIRJAN, RUA GRAÇA ARANHA 1, CENTRO, 11° ANDAR