sábado, 14 de abril de 2012

Negócios bilionários reacendem debate sobre valorização excessiva de empresas de internet

Estreia do Facebook na bolsa de valores deve ser mais um capítulo da discussão

Zero Hora - 14/04/2012

Operação de US$ 1 bilhão, a compra do Instagram – um aplicativo gratuito de compartilhamento de fotos com apenas 13 funcionários e 551 dias de vida – pelo Facebook, na semana passada, ativou uma mensagem de alerta no monitor de analistas e investidores do setor de internet e software: estaria o mercado na iminência de uma nova bolha?

Entre especialistas, não há quem não tenha se impressionado com o valor. Apenas uma semana antes da aquisição, a Sequoia Capital e o Greylock Partners, fundos de risco americanos, haviam pago US$ 50 milhões por 10% de participação no Instagram – definindo assim um valor de mercado para o aplicativo de meio bilhão de dólares.

Poucos dias depois, a empresa de Mark Zuckerberg pagaria o dobro pelo app.
– Não há dúvidas de que US$ 1 bilhão por uma empresa tão pequena é muito dinheiro. Negócios como esse acontecem poucas vezes – afirma Brian Blau, diretor de Pesquisas, Tecnologia e Mercados da Gartner, consultoria especializada em tecnologia e informação.

Fosse um caso isolado, a compra não suscitaria o debate de valorização exagerada neste setor. Mas não foi. Operações bilionárias envolvendo o controle de slim startups (como são chamadas empresas jovens, com pouquíssimo patrimônio e baixa geração de receita) por grandes grupos têm se enfileirado nos últimos anos.

Em outubro de 2011, a Microsoft pagou US$ 8,5 bilhões pelo Skype, software de chamadas de voz e vídeo, e a HP desembolsou US$ 10,3 bilhões pela desenvolvedora de software europeia Autonomy Corporation. IPOs (ofertas iniciais de ações na bolsa de valores) programadas ou recém-realizadas também mostram que há muito dinheiro circulando nas empresas de internet e tecnologia.

Prevista para o final de maio, a estreia do Facebook na bolsa já estima seu valor de mercado em US$ 100 bilhões. Detalhe: o faturamento da rede social hoje em 2011 foi de US$ 3,7 bilhões. Em dezembro passado, a produtora de games Zynga levantou US$ 1 bilhão em sua IPO, o que a alçou ao status de maior abertura de capital de uma empresa de internet desde que o Google lançou suas ações, em 2004. O mercado também tem sido generoso com os veteranos da bolsa. Na semana passada, o valor da Apple, empresa mais valiosa do mundo, chegou ao recorde de US$ 600 bilhões.

– Há muito dinheiro e entusiasmo, mas também altos riscos. Acho que há, sim, uma pequena bolha se formando, embora estejamos falando de um mercado muito novo, que ainda não conhece as todas suas potencialidades – analisa Blau.

Embora o cenário atual possa lembrar o do início dos anos 2000, quando houve o estouro da bolha das empresas pontocom, a realidade hoje é outra, diz Marcelo Marzola, diretor-geral da Predicta, especializada em mercado digital. Há 12 anos, não havia demanda por serviços e produtos pela internet e smartphones, como há hoje, explica.

– Antes, as aquisições não consideravam a demanda de mercado. Já as operações recentes são avaliadas de forma muito mais racional, considerando seus impactos no negócio – argumenta Marzola.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Convênio com RNP e Telebras vai dobrar velocidade do Cinturão Digital de 10 gbps para 20 gbps

Etice vai doar link de 50 Kbps às prefeituras e anuncia que backbone chegará os 184 municípios do Ceará

Desimbloglio - 13/04/2012

O Cinturão Digital do Ceará, a infraestrutura de comunicação (backbone) com 3 mil Km de cabos de fibra ótica com velocidade de 10 giga bits por segundo, vai duplicar a velocidade para 20 gbps, disse o presidente da Empresa de Tecnologia da Informação (Etice), Fernando Carvalho. Para a ampliação, segundo ele, foi assinado convênio com a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), do Ministério da Ciência e Tecnologia, e a Telebras, empresa estatal do governo federal, que implementarão o upgrade.

Já começou a execução da parte operacional prevista no acordo tripartite, disse Fernando Carvalho, que anunciou a intenção do governo do Estado de doar, por meio da Etice, mediante convênio, um link de 50 mega bits por segundo (bps) para cada prefeitura do Ceará. O edital de fomento já está publicado no site da Etice.

Na próxima semana, provavelmente pela manhã, o governo do Estado reúne os prefeitos cearense para efetivar a parceria. Hoje, o anel ótico do Cinturão Conecta a sede de 92 municípios do Ceará, mas em um ano e meio chegarão a todos os 184 municípios do Ceará, disse o dirigente da Etice.

Caberá à prefeitura contratar um provedor e, se quiser, levar a Internet para as casas dos moradores do município, disse Fernando Carvalho.

O presidente da Etice sediou nesta sexta-feira reunião com o deputado Ariosto Holanda, membro da Comissão Especial do Marco Civil da Internet, para discutir o projeto de lei com pesquisadores do Ceará, Pablo Ximenes, consultor da Etice, André dos Santos, da Uece e Marcial Fernandez, da Etice. Também faz parte do grupo o professor João Araújo Monteiro Neto, da Unifor.

Ariosto Holanda informou que o relator do projeto de lei do Marco Civil, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), anunciou que pretende encerrar os trabalhos da Comissão Especial do Marco Civil da Internet até julho e, para ganhar tempo, agrupou os indicados para audiências pública por áreas. O deputado convidou os pesquisadores para indicar temas e locais da audiência pública em que gostaria levar a sua participação.

Ao participar de visita às intalações da Etice, Ariosto Holanda pediu informações detalhadas sobre o município de Russas, onde colocou recursos de emenda para o Instituto Federal de Educação (IFCE) do Ceará fazer a conexão de cinco Centros de Inclusão Digital (CID) colocados nos distritos de modo que possam participar de aulas a distância. Foi indicado o sistema de rádio ponta a ponta que cobriria o raio de 20 Km onde estão localizados os CIDs, já que cobrem 50 a 60 Km com velocidade de 100 Mbps.



Banda larga móvel de até 100 Mbps chega ao Brasil em um ano

Convergência Digital :: 12/04/2012

A nova geração das telecomunicações móveis chegará ao Brasil em um ano, pelo menos nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Fortaleza – e provavelmente ainda em Recife e Salvador. São as cidades sede da Copa das Confederações.

Essa nova geração, chamada de 4G ou LTE (do inglês Long Term Evolution) tem como principal chamariz a capacidade de transmitir dados a velocidades muito superiores àquelas alcançadas atualmente no 3G. Em tese, picos de 100 Mbps para operações em bandas de 20 MHz.

Pelo cronograma do edital da faixa de 2,5 GHz – a frequência que será utilizada pelos serviços 4G – até o fim de 2013 essa lista de cidades será ampliada para Cuiabá, Curitiba, Manaus, Natal, Porto Alegre e São Paulo, que juntamente comas seis primeiras completam as sedes e subsedes da Copa do Mundo de 2014.

Apesar da exigência de um ritmo acelerado de implantação do serviço, a meta de cobertura nessas cidades sedes e subsedes será um pouco diferente. Como regra geral, a Anatel considera que uma cidade está atendida quando tem cobertura de 80% de sua área. Nessas, será aceito o percentual de 50%.

Antes do início da Copa, em junho, porém, todas as capitais e cidades com mais de 500 mil habitantes também deverão contar com ofertas de serviços em LTE. Até o fim de 2015 e 2016 serão incluídos os municípios com até 200 mil e 100 mil habitantes, respectivamente.

No caso das cidades menores – de 30 mil a 100 mil habitantes – as empresas deverão, no mínimo, ampliar suas redes para que possam oferecer os serviços de 3G. Vale lembrar que parte dessa cobertura já estava prevista ainda no leilão da terceira geração, cujo cronograma continua em andamento (vai até 2018).
Ministro da Ciência e Tecnologia visita a PUCRS nesta sexta-feira

Planeta Universitário - 13/04/2012

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, visita a PUCRS na tarde desta sexta-feira, 13 de abril. Ele vem à Universidade para conhecer as instalações do Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc) e será recebido pelo Reitor, Joaquim Clotet, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Jorge Audy, e o diretor do Tecnopuc, Roberto Moschetta. Conhecerá a estrutura do Parque, que hoje abriga mais de 97 organizações, sendo 77 empresas, oito entidades e 12 estruturas de pesquisa da PUCRS.

O ministro fará uma visita ao local onde em breve será instalada a Telebras, no 3º andar do Portal Tecnopuc, com um laboratório inédito, de fundamental importância para o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), sendo destinado a testes e certificação de infraestrutura de redes e ao desenvolvimento de projetos de sistemas de telecomunicações para atender as demandas do PNBL.

Na pauta está prevista também uma apresentação sobre o Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer-RS). O diretor e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Jaderson Costa da Costa falará do Centro, uma referência no tratamento e investigação de doenças neurológicas, de pesquisas multidisciplinares em neurociências e terapia celular. A inauguração do InsCer-RS deve ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano.

A visita se encerra no Museu de Ciências e Tecnologia (MCT), quando será realizada confraternização e Raupp conhecerá os experimentos interativos que fazem do Museu um dos locais mais visitados da Capital.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Comissão da Câmara aprova uso do Fust em educação, ciência e tecnologia

Convergência Digital :: 12/04/2012

A Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara aprovou o projeto de lei que destina parte dos recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para a educação básica e atividades de ciência e tecnologia.

A proposta (PL 691/07), de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) determina que “do total de recursos do Fust, serão aplicados, no mínimo, 20% em educação básica nos estabelecimentos públicos de ensino, e 10% em atividades na área de ciência e tecnologia”. O projeto já foi aprovado pelo Senado Federal.

A julgar pelas contas do relator na CCTCI, deputado Julio Campos (DEM-MT), a destinação inclui o saldo do fundo, estimado em R$ 12,5 bilhões, uma vez que espera a aplicação de, pelo menos, R$ 2,4 bilhões para educação e R$ 1,2 bilhão para ciência e tecnologia.
Pesquisa diz que Brasil terá mais de 18 milhões de usuários LTE até 2015

Números contrastam com pessimismo das operadoras a respeito da massificação da 4G no país

Tele.Síntese - 12/04/2012

A Pyramid Research, empresa de pesquisas na área de tecnologia e telecomunicações, lançou um relatório onde faz uma previsão bastante otimista sobre o futuro do LTE no Brasil. Até o final de 2015, o país contará com mais de 18 milhões de usuários do novo sistema, apesar do ceticismo de algumas operadoras a respeito da capacidade do país de massificar a tecnologia, diz o estudo.

“À medida em que junho de 2012, a data do leião da frequência 4G se aproxima, algumas empresas acreditam que o Brasil ainda não está pronto para esta tecnologia, já que o 3G ainda não atingiu sua maturidade e o LTE ainda está na sua infância ao redor do mundo”, disse Vinicius Caetano, analista senior da Pyramid. “De qualquer forma, a Anatel quer que o país tenha uma rede LTE funcionando até a copa de 2014, permitindo que o Brasil seja um líder nesta nova tecnologia”.
Em abril de 2013, seis cidades brasileiras terão a banda larga turbinada da 4G móvel

Tele.Síntese - 12/04/2012

O conselho diretor da Anatel aprovou hoje as regras gerais do edital de licitação das faixas de 450 MHz/2,5 GHz, que irão permitir a oferta de telefonia e dados às áreas rurais brasileiras e o ingresso da banda larga 4G na telefonia celular. Com esta licitação, as empresas que comprarem as cinco faixas à venda terão que estar com a rede 4G (que dá 100 Mega na velocidade de conexão) pronta em abril de 2013 em todas as cidades-sedes da Copa das Confederações. São as cidades do Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza e Salvador; nas cidades-sedes e subsedes da Copa e em todas as capitais e com mais de 500 mil habitantes em maio de 2014. O leilão deve ocorrer na primeira quinzena de junho.

Até dezembro de 2015, a 4G estará chegando nas cidades com até 200 mil habitantes e em dezembro2016, em cidades com até 100 mil habitantes. O aviso de licitação deverá ser publicado entre os dias 25 e 26 de abril, pois ainda falta a Anatel fechar com o Tribunal de Contas da União o preço mínimo.

Nos municípios entre 30 mil a 100 mil habitantes, terá que haver pelo menos uma prestadora de 2,5 GHz. E nas cidades menores, com menos de 30 mil habitantes, a banda larga terá que chegar (em 3G) em 24% dos municípios que ainda não tem o serviço de comunicação de dados passarão a contar com no mínimo a velocidade da terceira geração.

O que é a LTE?

O principal diferencial da tecnologia LTE (Long Term Evolution) é a rede de dados. Em testes de laboratório esta rede pode alcançar 300 Mbps em downstream e 75 Mbps em upstream. Entretanto, a velocidade real de navegação beira aos 100 Mbps de download e 50 Mbps de upload. Outra diferença é sobre a quantidade de usuários pendurados na rede: 5 MHz de espectro permitem até 200 acessos simultâneos — praticamente o dobro das redes atuais.

O presidente da Anatel, João Rezende, acredita que a licitação será um sucesso, tendo em vista as condições econômicas do Brasil. "Estaremos à frente de vários países", afirmou.

A modelagem do edital já publicada pela imprensa fica praticamente inalterada. Serão duas faixas de 20+ 20 MHz (W e X) e três faixas de 10+10MHz (V1 e V2 e P). Mas as quatro faixas nobres W,V1,V2 e X terão licenças nacionais, mesmo as faixas fatiadas, sobre as quais inicialmente se pensava em vendê-las por área de registro (as 67 áreas do DDD). As bandas U (em TDD Time Division Duplex) e P (em FDD de 10+10MHz cujas fatias nas principais cidades brasileiras estão em poder das operadoras de MMDS) serão vendidas em 67 blocos. Segundo o relator do edital, conselheiro Marcelo Bechara, a venda desses lotes poderá permitir a participação de grupos regionais na oferta da banda larga fixa ou móvel.

Se a banda que for usada para a telefonia rural (450 Mhz) não for vendida primeiro, ela fica atrelada faixa do celular. E aí as empresas que comprarem a 4G terão, entre os demais compromissos de abrangência, permitir a oferta de acessos rurais em 450 MHz.

Os operadores de MMDS que quiserem ir ao leilão terão duas opções: ou renunciam imediatamente às faixas em 2,5 GHz que possuem (e cujo prazo de validade é de apenas 8 anos) para comprar frequências por 30 anos; ou avisam que vão renunciar, mas entregam a faixa ao novo dono ou de volta à Anatel em 18 meses. Na segunda opção, as empresas terão que vender a sua banda preferencialmente para outra empresa que ocupa uma faixa de sua fronteira.

Há ainda compromissos de abrangência para a telefonia rural, que prevê o atendimento de 100% dos municípios brasileiros em dezembro de 2015.