sexta-feira, 16 de março de 2012

Implantação de banda larga no interior do Amazonas trará impactos sociais

Projeto integra o acordo de cooperação técnica, com a finalidade de expandir o nível de qualidade do sistema de comunicação no Estado

A Crítica - 16/03/2012

A implantação da internet banda larga em municípios do interior do Amazonas, viabilizada por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Sectam), a Empresa de Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam) e a Telebrás, irá transformar o cotidiano das populações dos municípios escolhidos para receberem o projeto.

A ação prevê o uso da infraestrutura do cabo de fibra ótica do gasoduto Coari-Manaus para instalação do serviço de internet banda larga nos municípios de Iranduba, Manacapuru, Caapiranga, Novo Airão, Anamã, Anori, Codajás e Coari.

O projeto integra o acordo de cooperação técnica firmado, no ano passado, entre as três instituições com a finalidade de expandir o nível de qualidade do sistema de comunicação no Estado, ampliando o número de municípios interligados pela Rede Estadual de Comunicação.

De acordo com o titular da SECTAM, Odenildo Sena, essa iniciativa terá impactos grandiosos para a sociedade amazonense, com a geração de benefícios em diferentes áreas, como indústria, comércio, saúde, educação, entre outras.

Outro aspecto positivo é a possibilidade de conectar as instituições das esferas municipal, estadual e federal de maneira a garantir prestação de serviço de melhor qualidade à população.

“Isso não representa praticamente nada para quem está em outras regiões do País. Contudo, para nós (do Amazonas) isso representa um salto social enorme. Uma verdadeira revolução”, disse.

O diretor-presidente da Prodam, Tiago Paiva, explica que o cronograma de execução do projeto prevê, inicialmente, a interligação dos municípios de Coari e Manaus, por meio da expansão do cabeamento de fibra ótica já disponível na infraestrutura do gasoduto.

A partir desta primeira ação, será possível levar aos municípios, mais adiante, os links de internet e os sistemas operacionais de inúmeros programas do Governo do Estado”, destacou.

O diretor ressalta que a iniciativa consolida, também, a implementação do Plano Nacional de Banda Larga, no Amazonas.

Benefícios para C&T
No que se refere aos impactos na área de Ciência e Tecnologia (C&T), a implantação desse projeto deverá contribuir para ampliar a quantidade de pesquisadores fixados nos municípios do interior e em decorrência, a quantidade de atividades de pesquisa nesses locais.

“Hoje, temos uma dificuldade enorme para consegue fixar pesquisadores no interior - ainda que os salários sejam competitivos – porque essas pessoas não querem ficar isoladas e comprometer a sua carreira acadêmica. Daí, a importância do que estamos querendo conquistar”, afirmou Odenildo Sena.

Outro benefício apontado com a implantação da banda larga para C&T nesses municípios é a maior interação das unidades de instituições de ensino e pesquisa em funcionamento no interior, o que facilitará o acesso e a troca de informações fundamentais para o desenvolvimento de pesquisas no Estado.

Sena destacou, ainda, a possibilidade de melhoria da qualidade das ações do projeto Telessaúde, um programa do Ministério da Saúde, operacionalizado, no Estado, pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) no âmbito do programa Amazonas Digital.

“A telessaúde é uma das grandes saídas para o nosso Estado. A UEA desenvolve um projeto belíssimo de Telessaúde a duras penas devido a essa enorme dificuldade”, frisou.

Visitas técnicas
Nesta semana, foi iniciado o trabalho de vistoria nos municípios que serão beneficiados pelo projeto. O primeiro a receber os representantes das três instituições foi a cidade de Iranduba.

A finalidade das visitas é levantar informações que possam servir de subsídio para a sistematização do plano de trabalho e cronograma de ações.

No município de Iranduba, especificamente, a expansão da Internet banda larga será viabilizada por meio do projeto Cidade Digital, resultado de parceria entre a SECTAM, Prodam, o Centro de Educação Tecnológica do Estado do Amazonas (Cetam) e Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

O valor total do projeto é de R$ 2,5 milhões, sendo R$ 2 milhões oriundos de recursos concedidos pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e R$ 500 mil pela Seduc.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Telebras prevê investimentos de R$ 399,6 milhões em 2012

Convergência Digital :: 15/03/2012

O Conselho de Administração da Telebras deve aprovar investimentos de R$ 399,67 milhões em 2012, com a maior parte dos recursos – R$ 353,31 milhões para aporte no Plano Nacional de Banda Larga. É o que consta da proposta para a Assembleia Geral Ordinária, prevista para 4 de abril.

O valor é cinco vezes superior aos R$ 72,37 milhões que o PNBL recebeu no ano passado – em boa medida pelos meses de paralisia provocados por questionamentos ao TCU sobre compras efetuadas pela estatal.

Na conta do PNBL a estatal lista R$ 98,61 milhões para compra de equipamentos, R$ 119 milhões para o projeto de cabos oceânicos e R$ 55,7 milhões para a primeira etapa do satélite geoestacionário.

Outros R$ 80 milhões são da rubrica “grandes eventos”, uma vez que a estatal será responsável pelas obrigações de rede tanto para a Copa das Confederações, no próximo ano, quanto a Copa do Mundo de 2014.

Além do programa, outros investimentos da Telebras preveem R$ 44,52 milhões para aquisição e manutenção de software e R$ 1,84 milhão para instalações e equipamentos da sede da empresa, em Brasília.

De acordo com a Telebras, esses investimentos são financiados “por meio do seu fluxo de caixa operacional e recursos disponibilizados pelo Governo Federal, conforme registrado e aprovado no Plano Plurianual 2012 a 2015”.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Telebrás terá rede de fibra óptica com 31.000 km

Rede atual conta com 10.000 km e extensão deverá ser triplicada ainda em 2012.

Tecmundo - 14/03/2012

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta (14) que a rede de fibras ópticas da Telebrás deverá ser triplicada até o final do ano. A extensão atual é de 10 mil km e, com as melhorias, o volume de cabos deverá chegar à marca de 31 mil km.

O investimento é parte do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) e deve levar as fibras ópticas da empresa estatal a 37% dos municípios brasileiros, contemplando 48% da população. Segundo o ministro, ainda em 2012 o governo firmará convênio com 510 provedores, que ficarão responsáveis por oferecer o serviço à população.
Telebras anuncia banda larga em abril para Macapá

Amazônia Brasil Rádio Web - 14/03/2012

O Plano de expansão da Banda Larga para a Região Norte chegará ao Amapá em abril. Essa foi a informação dada pelo presidente da Telebras, Caio Bonilha, nesta quarta-feira (14) durante reunião com o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), os deputados da bancada federal do Amapá e o deputado estadual Bruno Mineiro, no gabinete do senador.

Bonilha informou que foram concluídos os entendimentos entre a Eletronorte e a Telebras, e agradeceu o empenho da bancada no Ministério de Minas e Energia para o êxito dessas negociações. Segundo o presidente da Telebras, a primeira parte do projeto que dependeria de acertos apenas com a Eletronorte tem execução prevista para abril e atenderia primeiramente Macapá. Até o final deste ano estariam previstos no projeto os municípios de Amapá, Calçoene, Cutias, Laranjal do Jarí, Santana, Tartarugalzinho e Vitória do Jarí.

“É com grande alegria que recebemos essa informação. Ela é resultado de um esforço coletivo da bancada e do governo do estado que fez um verdadeiro mutirão pela banda larga. A chegada de banda larga é tão relevante quanto a chegada da televisão ao Amapá na década de 70”, declarou Randolfe.

terça-feira, 13 de março de 2012

Telebras planeja concurso para 200 novos funcionários

Convergência Digital :: 13/03/2012

A Telebras espera realizar, até o fim do ano, um concurso público para contratar, pelo menos, 200 novos funcionários – o que dobraria a equipe atualmente na estatal.

Segundo o presidente da Telebras, Caio Bonilha, há 52 projetos em andamento – especialmente em implantação de redes – e para a realização de diversas atividades a estatal não tem possibilidade de terceirizar atividades.

“Já conversamos com o Dest [Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais], que precisa aprovar o plano de cargos e salários. Mesmo tendo orçamento, os cargos precisam ser autorizados”, explicou Bonilha.

Para definir o perfil e o número de novos postos foi contratada uma consultoria e a expectativa é que esse trabalho esteja concluído até junho. Para Bonilha, a rapidez ajudaria a reaproveitar empregados do setor, como os que estão sendo demitidos pela Telefônica, que anunciu um corte de 1,5 mil vagas em função da integração dos negócios com a Vivo.
Brasil busca parceria com EUA para construção de satélite

Terra Tecnologia - 13/03/2012


Empresas americanas poderão ser fornecedoras de componentes do programa Satélite Geoestacionário Brasileiro (SGB) - a ser produzido totalmente no País, para observação militar e comunicação. A informação é do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp. Segundo ele, a coordenação-geral do programa será da Agência Espacial Brasileira (AEB).

O SGB está sendo desenvolvido pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), que é privada, com a estatal Telebras. "Estamos começando, agora, a cooperação, que se destina a atender à banda larga. É um projeto puramente industrial, pelo qual já foi constituída uma empresa da Telebras e Embraer", disse Raupp.

De acordo com o ministro, o programa do SGB envolve compras estrangeiras e a coordenação brasileira da produção do satélite. "Duas coisas caracterizam esse projeto: as compras internacionais, que serão bastante grandes e, certamente, existem empresas americanas que poderão participar dessa escolha, e será a empresa integradora, a principal", disse.

Ele também destacou a importância da transferência de tecnologia que ocorrerá por meio do programa. "(O segundo aspecto, que é paralelo) é um programa de (transferência de) tecnologia que coordena esse processo e que está sob o âmbito da Agência Espacial Brasileira. É algo em que, certamente, haverá cooperação. Certamente, será em nível empresarial e de indústrias."

Além de componentes para o SGB, o Brasil tem interesse no intercâmbio de informações com os americanos para a prevenção de desastres naturais e observação oceanográfica. Os temas fizeram parte de uma série de reuniões iniciadas na segunda-feira e concluídas nesta terça-feira em Brasília, da Comissão Mista de Ciência e Tecnologia Brasil-Estados Unidos.

O secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre, disse que a "experiência norte-americana é muito importante" nas práticas de prevenção de desastres. Segundo ele, já há uma série de ações iniciadas entre os Estados Unidos e o Brasil nessa área, que incluem programas referentes ao sistema de alerta de desastres naturais.
Telebras troca fibras com Algar e chega a São Paulo

Convergência Digital :: 13/03/2012

Um acerto de troca de fibras levará a rede da Telebras para a região metropolitana de São Paulo. Firmado com a Algar Telecom, o contrato viabiliza um anel óptico na capital paulista e a oferta do Plano Nacional de Banda Larga em contratos como o negociado com as prefeituras do ABC.

Assinado nesta terça-feira, 13/3, o contrato prevê uma troca de fibras apagadas e não envolve acerto financeiro. Com ele, a Algar ganha redundância no trecho entre Paulínia-SP e Curitiba-PR, enquanto a estatal chega à Avenida Paulista e ao Grande ABC, com extensão programada a Santos-SP.

Fazemos uma troca entre um trecho não-urbano por um urbano que é muito importante para nós, em São Paulo. E ao chegar aos PTTs, atendemos os provedores”, disse o presidente da Telebras, Caio Bonilha. A demanda já existe, seja pelas obrigações de rede para a Copa ou a banda larga das universidades.

Em princípio a Telebras usará 42,5 km de fibras para completar o trecho entre as paulistas Barueri e São Caetano – passando por São Paulo. Isso viabiliza um anel óptico de 129 km na capital e, entre outros, permite o avanço no acordo entre a estatal e o Consórcio Municipal do Grande ABC.

De sua parte, a Algar leva um terceiro trecho de fibras entre São Paulo e Curitiba, pelo interior – os outros dois vão pela costa. “Ganhamos redundância e vamos analisar a possibilidade de outros mercados”, diz o presidente da Algar Telecom, Divino Sebastião de Souza.

Os termos do contrato, no entanto, facilitam a ampliação da troca de fibras. Em tese, portanto, outros 500 km de fibras em São Paulo poderão vir a ser utilizados pela estatal. “Temos capacidade de sobra”, emenda o presidente do conselho do Grupo Algar, Luiz Alberto Garcia.

Um anel óptico em São Paulo adianta a infraestrutura que a Telebras precisa disponibilizar para a Copa, além de outras obrigações importantes como o convênio com a Rede Nacional de Pesquisa para ampliação da banda larga disponível nas universidades.

No mesmo sentido, a estatal deverá firmar acertos semelhantes em outros estados – seja pela infraestrutura das 12 cidades sedes da Copa de 2014, mas mesmo antes disso para as seis da Copa das Confederações, no próximo ano: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife e Salvador.
Telebras e Algar Telecom fazem acordo de infraestrutura

Valor - 13/03/2012

SÃO PAULO - A Telebras assina hoje, em Brasília, às 14h30, um acordo com a Algar Telecom para troca de infraestrutura de fibras ópticas apagadas. A Telebras vai complementar a sua estrutura com 42,5 quilômetros da rede nacional de telecomunicações (backbone) entre Barueri e São Caetano, passando por São Paulo, formando um anel com um total de 129 quilômetros de fibras ópticas.

Essa iniciativa possibilitará à companhia implementar o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) na região. A Telebras vai compartilhar 501 quilômetros de rede com a Algar Telecom, localizada entre Paulínia (SP) e Curitiba (PR).

A Telebras já fechou acordos para a implantação de 21 mil quilômetros de backbone, com conclusão prevista para o fim deste ano. Com a expansão da rede, a expectativa é a de que 40% dos municípios brasileiros sejam atendidos pelo Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) em 2012.

Para ampliar a capilaridade da sua rede, a Telebras fechou no ano passado 20 acordos de cooperação, incluindo parcerias com a Rede Nacional de Pesquisas (RNP), a Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social (Dataprev) e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

A companhia também firmou cinco acordos de cessão de infraestrutura. O acordo entre a Telebras e a Algar Telecom será assinado pelos seus presidentes, Caio Bonilha e Divino Sebastião de Souza, respectivamente.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Ministro dos Esportes preocupado com gargalo nas telecomunicações


Aldo Rebelo afirmou que os sistema de telecom "chega perto ao colapso"

Tele.Síntese - 12/03/2012

Em visita ao canteiro de obras do Maracanã, Aldo Rebelo, ministro do Esporte, demonstrou tranquilidade com o andamento das obras dos estádios. No entanto apontou o gargalo no sistema de telecomunicações como uma questão importante a ser resolvida.

“Temos uma responsabilidade de melhorar a área de telecomunicações, que, como vimos aqui no carnaval, chega perto de um colapso”, disse o ministro. Sobre o palco da final da Copa, Rebelo informou que 90% da estrutura necessária para a construção do estádio já está comprada.
Anel óptico sulamericano será concluído em três anos

Tele.Síntese - 13/03/2011

Os ministros de Comunicações dos países da União de Nações Sulamericanas (Unasul) ratificaram sexta-feira (9), em Assunção, no Paraguai, uma declaração em que renovaram o compromisso para integrar as redes de banda larga da internet entre os vizinhos, por meio de um anel óptico. Os ministros aprovaram os prazos para a implementação de cada fase do projeto de anel óptico, que deverá ser concluído em três anos.

O documento destaca a importância do projeto para possibilitar aos cidadãos uma conexão mais rápida a preços mais baixos, além de fortalecer a soberania dos países. Hoje é necessário cruzar o oceano Atlântico para acessar do Brasil sites hospedados em países como Colômbia, Chile e Equador. A informação vai aos Estados Unidos, por meio de um cabo submarino, e depois retorna, por outro cabo, pelo oceano Pacífico. No caso do Peru, o trajeto tem mais de 8.000 km. Com o anel, a distância cairia para 2.000 km.

A declaração ressalta, ainda, a necessidade de trabalhar para a geração, armazenamento e distribuição de conteúdos locais, de modo a aumentar a importância do tráfego de dados na região, de acordo com proposta apresentada pelo ministro da Venezuela. Foi formada uma comissão técnica para avançar nesse tema.

Também foram definidas as datas dos próximos encontros sobre o projeto. Em junho, ocorrerá a II Reunião do Grupo de Trabalho de Telecomunicações, em Assunção. Em setembro, o Brasil sediará a III Reunião de Ministros de Comunicações dos países membros da Unasul.

Assinam o documento os ministros dos seguintes países: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.