sábado, 7 de julho de 2012

Telebras confirma data center de R$ 60 mi em Fortaleza

Além de centro de processamento de dados, Capital terá quatro cabos submarinos instalados

Diário do Nordeste - 07/07/2012

A Telebras irá instalar em Fortaleza um data center de porte internacional na região da Praia do Futuro. As informações sobre essa possibilidade já vinham sendo divulgadas e, nesta semana, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, reuniu-se com o ministro das Telecomunicações, Paulo Bernardo, em Brasília, para assinar um termo de cooperação técnica entre a Prefeitura e a Telebrás para o empreendimento, que envolverá investimentos de R$ 60 milhões em infraestrutura e equipamentos.

Cabos
Além deste centro de processamento de dados, a Capital terá instalados quatro cabos submarinos ligando a cidade aos Estados Unidos, África e Europa. O objetivo, de acordo com a Telebras, é baratear os custos de internet para os usuários de todo o País, ao diminuir o tráfego internacional de dados. Fortaleza possui localização geográfica considerada estratégica, por estar distante cerca de 6.500 quilômetros dos principais centros de dados do Atlântico.

Referência
"O investimento que a Telebras está fazendo nesse centro de dados é fundamental para impulsionar o desenvolvimento do País, ao permitirmos uma conexão mais rápida e barata à população. Estamos nos tornando um dos grandes players na área de telecomunicações", afirmou o presidente da empresa, Caio Bonilha. O data center será referência mundial no armazenamento e transmissão de dados para o Brasil e o mundo. Segundo o coordenador de Tecnologia da Informação da Prefeitura de Fortaleza, Cristiano Therrien, a cidade ampliará seu diferencial estratégico como a entrada principal de telecomunicações da América do Sul, com banda larga mais veloz, barata e direta do País".

Diferencial
Tal diferencial, acrescenta, também servirá de atrativo para a vinda de novas empresas ligadas à área de tecnologia.

O coordenador explica que o data center fará o roteamento do tráfico de dados no Brasil, reduzindo significativamente o custo do transporte de dados.

Distorção corrigida
De acordo com ele, existem casos em que dados saem de algum estado da Federação, indo aos Estados Unidos, para então chegar a um outro estado, destino final da informação. O equipamento corrigirá esta distorção. Através de concessão pública, a Prefeitura irá disponibilizar um espaço de nove mil metros quadrados na Praia do Futuro para o equipamento, que prevê a geração de até 300 empregos diretos e indiretos com sua instalação.

Cabos
Já os cabos submarinos, que serão cinco ao todo, sendo quatro partindo de Fortaleza e um de Santos, em São Paulo, estão orçados em R$ 1,8 bilhão. Este montante, contudo, não será diretamente arcado pela Telebrás, mas por meio de um modelo que prevê parceiros privados e com estatais da Argentina e Uruguai para cada ligação. A participação mínima da Telebras deverá ficar entre 10% e 15% do projeto - podendo ser maior a depender dos acertos. Hoje, a Praia do Futuro já conta com quatro fibras óticas instaladas, aponta Therrien, mas todas de empresas multinacionais. "O Brasil é dependente destes contratos. Com estas fibras sendo instaladas pela Telebras, que tem parcela pública, trará maior autonomia para o País. É uma questão de segurança nacional", destaca.

Até a Copa
O primeiro link deverá estar instalado até a Copa do Mundo, ligando Fortaleza a Jacksonville, na Flórida, Estados Unidos, considerado o mais importante pelo fato de que aquele país é a principal origem do tráfego internacional de internet. Esta ligação terá "braços" para Caiena, na Guiana Francesa, e Puerto Plata, na República Dominicana.

Outro trecho ligará a Capital cearense à África, através da capital de Angola, Luanda. Este link tem vistas, a longo prazo, a garantir parte fluxo da Ásia que contorna o continente africano. Outro cabo seguirá para Santos (SP), e com conexão já prevista para o Rio de Janeiro.

O último trecho saindo de Fortaleza seguirá para a Europa, na cidade de Seixal, Portugal - próximo à capital Lisboa. O link que partirá de Santos irá a Maldonado, no Uruguai, com perspectiva de uma ligação com a Argentina.

Acordo
O acordo prevê que a Prefeitura compartilhe sua estrutura de redes de fibras ópticas e WiMAX e, em troca, terá a rede Gigafor ampliada pela Telebrás. A capital também receberá da Telebrás mais banda para atender as necessidades da cidade na Copa do Mundo de 2014 e a programas de inclusão digital.

Unidade
A Telebras também planeja instalar por aqui uma unidade operacional, onde dará conta de toda a demanda do Nordeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.