quinta-feira, 19 de julho de 2012

Firjan e Telebras anunciam plano de internet banda larga para empresas

Monitor Mercantil - 19/07/2012

O presidente do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, e o presidente da Telebras, Caio Bonilha, se reuniram nesta quinta-feira para anunciar a criação de um produto específico de internet banda larga de alta velocidade para o setor corporativo, tendo como prioridade o atendimento a pólos de concentração industrial.

Em março do ano passado, a Firjan apresentou um conjunto de propostas ao ministério das Comunicações, sugerindo que o Plano Nacional de Banda Larga contemplasse o Pacote Empresarial Essencial, direcionado para empresas. Com velocidade de 15 megabits por segundo (15 Mbps) de tráfego para download, com garantia de banda mínima de 20% em relação à velocidade de download contratada, o plano terá preços competitivos internacionais, com isenção de ICMS, para os municípios de alta concentração industrial no país.O mapeamento desses municípios, produzido em parceria com a Fiesp, considerou pelo menos duas, das três características a seguir: mais de 700 indústrias de micro, pequeno ou médio porte; mais de três grandes indústrias; ou valor adicionado bruto da indústria acima de R$ 1 bilhão.

- O encontro de hoje marca o resultado desse trabalho. Entrego ao presidente da Telebras a lista do mapeamento de pólos industriais do Rio e de São Paulo, com 147 municípios que abrigam mais de 260 mil indústrias, 51% do total nacional - afirma Eduardo Eugenio.

Para a Telebras, oferecer esse serviço era assunto prioritário.

- O Governo Federal entende que proporcionar estrutura para o setor produtivo é de extrema importância. Por isso, o lançamento de um produto de internet de alta velocidade para o setor industrial estava nas nossas prioridades - enfatizou Caio Bonilha.

A empresa de telecomunicação vai disponibilizar o serviço ainda este ano.

- É um produto que não existe no mercado, será oferecido para todo o Brasil e terá preços acessíveis, que vamos estudar com os provedores de internet - completa o presidente da Telebras.

A definição do pacote foi baseada em análises sobre a necessidade de banda larga para a utilização de aplicativos disponíveis no mercado mundial, como os relacionados a vídeo conferência e comércio eletrônico. O acesso à internet com eficiência permite às empresas usufruir de tecnologias que incrementem produtividade e garantam competitividade, com suporte a sistemas corporativos e de comunicação.

Elaborado pelas Firjan também no ano passado, o estudo "Quanto custa o acesso à internet para as empresas no Brasil?" identificou que o serviço oferecido no país ao setor empresarial é caro, lento e pouco abrangente em termos geográficos.

Na comparação internacional dos preços para pacotes com velocidades de 1 Mbps, o Brasil é o sétimo mais caro do mundo, com um custo médio de US$ 42,80 (equivalente a R$ 70,85), bem acima de Alemanha (US$ 9,3), México (US$ 16,5) e Colômbia (US$ 16,7) e ainda maior que Suíça (US$ 36) e EUA (US$ 40).

O estudo revelou ainda surpreendente variação de preços entre as 27 unidades da federação do país, evidenciando a urgente necessidade de investir em infra-estrutura física para equalizar as diferenças e melhorar a qualidade do serviço prestado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.