quarta-feira, 20 de junho de 2012

Telebras planeja investir R$ 300 milhões no segundo semestre

Teletime - 20/06/2012

O presidente da Telebras, Caio Bonilha, se reuniu nesta quarta, 20, com o ministro Paulo Bernardo para apresentar um balanço do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) e a estimativa de novos investimentos para o segundo semestre. Segundo Bonilha, o primeiro semestre vai se encerrar com um investimento de aproximadamente R$ 100 milhões. Para o segundo semestre, esse valor deve saltar para algo em torno de R$ 300 milhões, sendo que boa parte dele já está contratado. No ano, portanto, a previsão é de que sejam investidos cerca de R$ 400 milhões, o que é significativamente superior aos R$ 75 milhões do ano passado. “Este ano não vai faltar dinheiro”, comemora Bonilha.

Entrará na conta dos investimentos do segundo semestre a ativação do anel nordeste que interligará Salvador a Imperatriz (MA), passando por Fortaleza. Bonilha explica que os equipamentos – que compõem 44 pontos de presença – já foram todos instalados, mas não estão em operação ainda porque a estatal não obteve o aval do Operador Nacional do Sistema (ONS). “A última data que eles nos deram foi 30 de agosto”, informa Bonilha.

Além do PNBL, receberão investimentos no segundo semestre do ano o Satélite Geoestacionário Brasileiro (SGB) e o projeto de cabos submarinos. Em relação a este último, Bonilha informa que será lançada uma consulta pública “para termos ideia do quão aderente aos fornecedores está o nosso termo de referência”. Apesar de a consulta pública ser lançada pela Telebras, a contratação dos fornecedores será feita pelo consórcio que dividirá a obra (e a utilização dos cabos) e ainda está sendo formado. “A Odebrecht está estudando a melhor conformação para entrar no projeto”, afirma Bonilha sem relevar nomes de outros interessados. Segundo ele, o projeto como um todo compreende cinco cabos, mas a prioridade é a ligação dos EUA com o Brasil (passando por Fortaleza e São Paulo) e depois Angola, país que já entrou na empreitada através da Angola Cables.

Sobre o SGB, Bonilha informa que dentro de poucos dias será finalizada a especificação técnica que está sendo elaborada pela PUC-Rio. “Já estamos sendo procurados por empresas americanas e europeias, que são as mais fortes nesse segmento, mas queremos uma proposta que nos ofereça um bom preço, um bom produto e um pacote de transferência de tecnologia compatível com as nossas necessidades”, disse ele.

2 Mbps

Bonilha confirmou as informações do ministro Paulo Bernardo de que está sendo estudada uma forma de aumentar as conexões do PNBL de 1 Mbps para 2 Mbps. “Estamos estudando com os provedores um plano para que eles aumentem a velocidade para 2 Mbps”, afirma. Mas o que pesa nessa conta, segundo ele, é o kit de conexão (modem + antena) que custa de R$ 200 a R$ 250. “Nós apoiamos o trabalho de um fabricante nacional que consegue oferecer o kit a R$ 100 ou R$ 150, dependendo do ICMS praticado no Estado”. A empresa a que Bonilha se referiu é a Intelbras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.