quinta-feira, 28 de junho de 2012

Telebras e RNP assinam acordo de integração das redes

Integração atenderá Universidades, PNBL e a Copa do Mundo de 2014

Telebras - 28/06/2012

O presidente da Telebras, Caio Bonilha, e o diretor Geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Nelson Simões, assinaram ontem à noite, na sede da empresa em Brasília, o segundo plano de trabalho para o compartilhamento de infraestrutura óptica, levando internet de alta velocidade às universidades, centros de pesquisa e institutos federais de educação de todo o país.

A RNP cederá a sua rede metropolitana para a Telebras, ao mesmo tempo em que receberá conexão de alta velocidade do backbone nacional da empresa, aumentando a própria conectividade e a melhoria nos seus serviços às universidades, centros de pesquisa e institutos federais de educação. A RNP abrange hoje 600 localidades – nas capitais e nos principais polos de desenvolvimento do país -, número que saltará para 900 até 2014, devido ao grande crescimento de Institutos Federais de Educação.

A cooperação também permitirá à Telebras expandir a cobertura e acelerar a implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), levando internet a custos mais baixos à população de menor poder aquisitivo, como também à rede privativa do Governo Federal, além de atender a demanda para a Copa do Mundo de 2014. “Esse projeto cria condições para irmos mais rapidamente a lugares onde teríamos dificuldade de infraestrutura. É um acelerador muito grande de todo o processo”, destacou Bonilha.

Essa integração trará, ainda, uma série de benefícios ao país. Um exemplo são os médicos residentes no interior, atraídos por altos salários, mas que dificilmente permanecerão no município devido à falta de infraestrutura de telecomunicação. Caso decidam permanecer, esses profissionais acabarão por servir como dinamizadores da economia e da sociedade onde estão inseridos, gerando riqueza e desenvolvimento à sua comunidade.

“A solução do problema de educação e pesquisa no país passa por uma parceria estratégica, como essa com a Telebras. Se compararmos a infraestrutura com outros países como Estados Unidos, é isso o que a gente precisa ter aqui. Eu consigo olhar para o futuro e ver que o Brasil está acertando o arranjo dele de telecomunicações”, afirmou Simões.

Como previsto no primeiro Plano de Trabalho, assinado em setembro do ano passado, a Telebras iniciou as ligações de campus universitários localizados no interior do estado à RNP da capital. Anápolis (GO) já está funcionando e Gurupi (TO) será o próximo. “A meta é interligar 50 campus até o final deste ano”, informou Bonilha, no que foi complementado por Simões: “esse é um projeto importantíssimo para educação e pesquisa. Não é pouca coisa o que nós vamos fazer até 2014. É um enorme desafio”, enfatizou.

Por essa parceria, a RNP receberá um piso mínimo de 100Mbps de velocidade, o que, para Simões “traz a enorme vantagem de estabelecer um patamar mínimo de condições de trabalho para os campus do interior”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.