segunda-feira, 4 de junho de 2012

Telebras chega ao Amapá e reduz custo de links em 90%


Convergência Digital :: 04/06/2012

Com direito a evento político – com governador, ministro das Comunicações e parlamentares – o Amapá festejou nesta sexta-feira, 1º/6, a chegada de conexões de Internet ofertadas pela Telebras, nos moldes do Plano Nacional de Banda Larga, que devem reduzir significativamente os valores cobrados atualmente pelos links na região.

A mudança tem potencial para ser significativa. Provedores da capital Macapá chegam a pagar R$ 5,6 mil por um link de 1Mbps. Na ponta dos consumidores, a oferta mais “competitiva” é de conexões de 300 kbps por R$ 119. Mas há valores bem mais altos.

“Somos o estado com a menor cobertura e o maior preço”, reclamou, durante a solenidade, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). De fato, os pacotes da concessionária Oi, por exemplo, oferecem “banda larga” por R$ 219 (300 kbps) ou mesmo R$ 329 (por 600 kbps). “Os estados do Norte, especialmente o Amapá, reclamam com razão”, disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Os valores ajudam a explicar porque uma empresa grande como a Oi conta com pouco mais de 1,1 mil assinantes de acesso à Internet em Macapá. A principal concorrência vem da Você Telecom, um provedor local que tem pacotes de R$ 119 (300 kbps) ou R$ 249 (600 kbps) e que foi o primeiro a apostar em infraestrutura própria – e que conta com cerca de 7, 5 mil clientes.

A empresa ergueu 8 torres para enlaces de rádio que cobrem 400 km, atravessando o rio Amazonas até a Ilha de Marajó e seguindo até Vila do Conde, no município de Barcarena. Com isso, conseguiu trocar o link via satélite, de R$ 5,6 mil, para outro, terrestre, originado em São Paulo, pelo qual pagava mais de R$ 1 mil por 1Mbps.

Há dois meses, a Você Telecom trocou o fornecedor. “Agora temos os preços da Telebras, de quem começamos comprando 600 MB, mas esperamos ampliar para 1 GB”, conta o diretor técnico da Você Telecom, Alaelson Tatsch. Na prática, uma nova redução no preço do megabit, para um quarto daqueles R$ 1 mil.

Na prática, a queda entre o valor cobrado pelos links de satélite, ainda praticados no Amapá, e o megabit nos moldes do PNBL representa uma redução superior a 90% nos custos do insumo. Por isso mesmo, a Você calcula que poderá levar a Macapá os preços já praticados em Belém-PA ao consumidor, com ofertas abaixo de R$ 89, por exemplo.

Fibra óptica

O esforço da Você Telecom, no entanto, acabou em segundo plano nos festejos desta sexta. O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, preferiu ressaltar a promessa de construção de 230 km de fibras ópticas entre Calçoene e Oiapoque, a ser feito pela Oi, em um investimento total de R$ 32 milhões.

Metade desse valor será bancado pelo governo do Amapá. “Estamos investindo R$ 16 milhões em renúncia fiscal”, disse Capiberibe. Como explica a secretaria estadual de Fazenda, Jucinete Alencar, a adesão do Amapá ao Convênio Confaz 85/2011 permitiu reduzir em 80% o ICMS devido pela Oi em troca da implantação da nova rede.

A Oi promete concluir os 230 km de fibras em seis meses, mas esse prazo só começa a contar a partir da emissão de licenças do Ibama e da Funai, visto que parte do trajeto cruza não só a floresta Amazônica, como uma reserva indígena. A empresa já tem autorização do DNIT para construir a rede (aérea) ao longo da rodovia BR 156.

Com esse trecho, será possível garantir uma segunda rota de conexões, visto que o objetivo é conectar o trecho da Eletronorte (cedido à Telebras) entre Macapá e Calçoene, levando as fibras até Oiapoque. Dali, será construída outra rede, da fronteira com o Brasil até a capital da Guiana Francesa, Caiena. O diretor operacional da Guyacom, Filip Van den Bossche, promete a construção em seis meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.