quarta-feira, 27 de junho de 2012

Acordo reduzirá exclusão digital no Amazonas

Convergência Digital :: 27/06/2012

A Telebras e o governo do Amazonas firmaram acordo para o uso de fibras ópticas do gasoduto Urucu-Coari-Manaus - cujo uso foi cedido pela Petrobras - para garantir acesso à Internet a sete municípios do interior do estado cobertos por esse trecho de aproximadamente 600 km: Coari, Codajás, Caapiranga, Anamã, Anori, Manacapuru e Novo Airão.

Viabilizado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Amazonas, o acerto prevê que a Empresa de Processamento de Dados do estado, Prodam, fará a implantação do sistema eletrônico para “iluminar” as fibras, além de 300 pontos de conexão viabilizando cidades digitais na região.

O investimento total é estimado em R$ 8,2 milhões e, segundo o presidente da Prodam, Tiago Monteiro de Paiva, a expectativa é que a rede esteja operacional até o fim do ano. “Para outras regiões do país, isso talvez não represente nada. Para nós, é uma revolução”, diz o secretário de C&T, Odenildo Sena.

Com exceção da capital Manaus, até aqui apenas 15 dos 62 municípios do estado contam com acesso, mas todos via satélite. A projeção é que, com as fibras, sejam viabilizadas conexões de até 30 Mbps nos municípios.

Além do interesse nos serviços públicos - especialmente governo eletrônico e telessaúde, crucial em uma região de deslocamentos difíceis - o uso das fibras também viabiliza a oferta de Internet aos habitantes nos moldes do Plano Nacional de Banda Larga.

Segundo o secretário de C&T, mais do que os óbvios ganhos com o acesso à Internet, a existência de conexões poderá facilitar a fixação de professores e pesquisadores no interior do Amazonas. “Há dificuldades, porque ninguém quer ficar em locais que são isolados”, admite.

A iniciativa busca cobrir uma lacuna na oferta de serviços no Amazonas. “O ideal era que as empresas tivessem infraestrutura e o Estado adquirisse o serviço. Mas as operadoras privadas não cumpriram seu papel e temos que usar recursos de outras áreas, como Educação, para fazer a cobertura”, lamenta o presidente da Prodam.

É que paralelamente será instalada uma linha de 35 km de fibras para ligar Manaus ao município vizinho, Iranduba, a ser transformada em cidade digital e onde se desenvolve um novo pólo industrial. Para isso, a Prodam conta com R$ 2,5 milhões em recursos da Sudam e da Secretaria de Educação.

Além do acordo, a Telebras vai compartilhar com a Prodam a experiência na contratação dos fornecedores dos equipamentos necessários para iluminar as fibras. “Nosso papel é justamente ir onde os outros não vão”, afirma o presidente da Telebras, Caio Bonilha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.