sexta-feira, 9 de março de 2012

Empresa de telecom do grupo Isa inicia operação no Brasil

Tal oferta será feita no atacado, ou seja, para clientes institucionais que compram capacidade para revender.

Reuters - 09/03/2012

RIO DE JANEIRO, 9 Mar (Reuters) - A companhia de serviços de telecomunicações Internexa, parte do grupo de infraestrutura colombiano ISA, anunicou nesta sexta-feira o início de suas operações no Brasil, que contarão com investimentos de 30 milhões de dólares até 2016, segundo comunicado.

A companhia propõe contruibuir para a melhora nos serviços oferecidos por provedores de Internet ao disponibilizar capacidade em sua rede de fibra ótica de 21 mil quilômetros na América Latina -que interliga, além do Brasil, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Chile e Argentina.

Tal oferta será feita no atacado, ou seja, para clientes institucionais que compram capacidade para revender. A empresa fornecerá a esses clientes "transporte, acesso à Internet, interconexões entre operadoras, conexões a cabos submarinos, infraestrutura, operação e manutenção de redes".

Com uma rede que passa por Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e Curitiba, a Internexa prevê chegar a 21 por cento de participação no mercado de transporte de dados em sua área de cobertura no Brasil.

A empresa diz que entre seus diferenciais estão transmissão de dados sobre redes elétricas e sinergia com os sistemas de infraestrutura lineares, "o que permite construir redes de fibra óptica em todos os países da América Latina".

Em 2010, o governo reativou a Telebrás com a finalidade de popularizar a banda larga no país através do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), aumentando a cobertura da rede. A estatal já informou que será agressiva na oferta de capacidade de rede no atacado.


Comentário do Laboratório de Ideias: a Internexa é uma gigante sulamericana do setor que se orgulha de ter a maior rede de telecomunicações terrestres da América Latina, com cerca de 21.000 quilômetros em todos os países, exceto nas Guianas e muito pouco no Peru.

No Brasil, pode parecer que ela vá competir diretamente com a Telebras, pois atuará também no atacado. Na verdade, o que poderá haver é uma "troca de figurinhas", já que ambas integrarão o grande anel ótico sulamericano que está sendo criado.

De qualquer forma, a conclusão é bastante simples. Se uma gigante como a Internexa vai se estabelecer no Brasil para atuar no atacado, é porque espera ter lucro com suas operações. Obviamente, a Telebras, atuando no mesmo segmento e tendo um espectro bem mais amplo (satélites, cabos submarinos, etc.), deverá também auferir um bom lucro com suas operações.

Às vezes, é necessário que um estrangeiro mostre à plebe tupiniquim o que está diante dos olhos e não é visto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.