sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Grupo de trabalho decidirá passos de anel óptico latino-americano

Fibra óptica ligará Brasil, Argentina e Paraguai.

iPNews - 10/02/2011

Uma reunião realizada no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu, Paraná, na quinta-feira (9), decidiu pela formação de um grupo de trabalho e cooperação técnica entre instituições para a interconexão em fibra óptica entre Brasil, Argentina e Paraguai. O objetivo é levar internet às regiões de países latino-americanos com menor índice de acesso.

O grupo de trabalho inclui o Ministério das Comunicações (MiniCom), Telebras, Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Itaipu Binacional, PTI-Brasil, PTI-Paraguai, Parque Tecnológico de Misiones e a Empresa Provincial de Telecomunicaciones Marandú, da Argentina. Fica a cargo do MiniCom a articulação para alinhar o projeto com os protocolos assinados entre Brasil e Argentina e os recentes acordos com a União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

Segundo a secretária de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações, Lygia Pupatto, esse projeto é de grande interesse do Governo Federal, que já conta com o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). “Algumas instituições envolvidas já têm seus projetos de fibra óptica e banda larga individualmente. O nosso desafio é fazer esse arranjo, discutir a parte técnica, desenhar um mapa de atuação, evoluir nisso e aplicar investimentos”, disse.

A Telebras também manifestou apoio ao projeto de interconexão. “A Telebras vai colocar engenheiros para realizar estudos de conexão da fibra óptica e iluminar essa rede até Foz do Iguaçu”, disse Erivan Paiva, gerente de planejamento empresarial da estatal.

O PTI-Brasil e o PTI-Paraguai pretendem articular a formação de uma grande rede metropolitana interligando Brasil, Argentina e Paraguai. As tecnologias serão desenvolvidas em cooperação e o PTI será o ponto de conexão internacional do sistema, incluindo tráfego de dados acadêmicos e da internet comercial. “A fibra óptica vai ser a água que vai matar a sede do conhecimento. Será uma grande revolução”, diz Juan Carlos Sotuyo, diretor superintende do PTI-BR.

Para a RNP, a conexão de fibra óptica em Foz se justifica pela meta de atender a todas as instituições públicas do Brasil até 2014. “Foz é uma cidade que priorizamos, pois temos que atender a Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) e o IFPR (Instituto Federal do Paraná)”, disse Eduardo Grizendi, gerente de planejamento empresarial da RNP.

As equipes voltam a se reunir dentro de dois meses para uma nova rodada de negociações e definição das metas de trabalho. O encontro deve acontecer, novamente, no Parque Tecnológico Itaipu.

* com assessoria de comunicação do PTI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.