quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Telebrás espera lucro a partir do 2º semestre de 2012, diz diretor

Reuters - 28/09/2011

SÃO PAULO (Reuters) - A Telebrás espera começar a registrar lucro líquido na segunda metade de 2012 se alguns projetos da companhia forem concretizados, disse à Reuters o diretor administrativo, financeiro e de relações com investidores da companhia, Bolivar Moura Neto.

"Nossa expectativa é que no segundo semestre do ano que vem comecemos a dar resultado mensal positivo na última linha", disse Moura Neto à Reuters, por telefone, na noite de terça-feira. "Mas vai depender de alguns negócios que estamos conduzindo para gerar receita."

Entre os planos da companhia para gerar receita está, principalmente, a venda de capacidade de rede para operadoras de telefonia e provedores de Internet dentro do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

Existe, contudo, a possibilidade de a companhia atuar fora do PNBL vendendo essa capacidade, o que pode resultar em mais oportunidades, disse ele. Ele citou, ainda, a parceria para oferecer Internet banda larga móvel de quarta geração em conjunto com a operadora de TV por assinatura SKY, um acordo fora do PNBL.

"Já retomamos o ritmo de investimento na nossa rede e nossa área comercial começou a dar resultado", afirmou o executivo, notando os acordos já feitos principalmente com provedores pequenos de Internet.

As ações da Telebrás têm apresentado forte valorização na Bovespa nas últimas semanas e alguns analistas não enxergam fundamentos para tal movimento.

A Telebrás foi reativada pelo governo federal para liderar o plano de popularização da Internet rápida no país.

No primeiro semestre de 2011, a empresa não contabilizou receita alguma e teve prejuízo líquido de 55,4 milhões de reais, segundo informações disponíveis no site da Bovespa.

Para o diretor da Telebrás, a alta das ações reflete a percepção "de que o projeto da Telebrás está se materializando, havia muita incerteza sobre a ação após a reativação" da empresa.

"(O PNBL) é um programa social, importante do governo, mas nós, como gestores da companhia, precisamos gerar resultado para o acionista. É nesse sentido que estamos trabalhando. Ainda não estamos gerando resultado, não se pode falar que esse movimento das ações é fruto de resultado", reconheceu.

"(A alta das ações) é mais nas perspectivas de construção da nossa rede gerando receita no PNBL e de clientes corporativos", acrescentou.

Nesta quarta-feira, às 12h28, as ações preferenciais da estatal voltavam a exibir forte ganho, com valorização de 9,60 por cento e negociadas a 13,81 reais. Os papéis não integram a carteira teórica do Ibovespa, que tinha variação positiva de cerca de 0,6 por cento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.