sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Parceiro privado da Telebras em satélite poderia ser Mectron, Odebrecht ou Embraer

Teletime - 30/09/2011

O presidente da Telebrás, Caio Bonilha, praticamente descarta que haverá uma transferência significativa de tecnologia para o Brasil na montagem do primeiro Satélite Geoestacionário Brasileiro (SGB), com previsão de lançamento em 2014. “Pelo pouco conhecimento que eu tenho nessa área, mas considerando os prazos que nós teremos que cumprir, acho muito pouco provável que tenha grande transferência de tecnologia. Nós vamos aprender com esse primeiro satélite”, afirma ele.

Bonilha disse que será criada uma empresa em parceria com a iniciativa privada, mas ele disse que ainda não está definida o tamanho da participação da Telebrás nessa empresa e nem como será a atuação do Inpe e da AEB no projeto. Especula-se que o parceiro privado poderia ser a Mectron, da Odebrecht, ou a Embraer.

O grupo de trabalho com membros da Telebrás, da AEB e do Inpe produzirá um termo de referência com as especificações técnicas do produto que será comprado, bem como as condições em que acontecerá a transferência de tecnologia. Esse trabalho deverá ser feito nos próximos 60 dias.

O SGB será um satélite de aproximadamente 5 toneladas e terá parte da capacidade destinada para as comunicações militares em banda x. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse na última quinta-feira que seriam entre 3 ou 4 transponders para os militares, mas Bonilha não confirma a informação. “Isso eu não sei e se soubesse, é confidencial”.

Perguntado se o aparelho terá capacidade também em outras bandas como banda C, Ka ou Ku, Bonilha também disse que não tem essa informação, alegando que o grupo de trabalho formado para tratar do assunto teve sua primeira reunião apenas na última quinta, 29. Ele também disse não saber se a parceria com a iniciativa privada se dará por meio de uma PPP. “O grupo de trabalho é que vai responder essas questões”.

Um comentário:

  1. Satelite Brasileiro so depois das eleicoes de 2014 - banho de agua fria nos planos de Dilma

    Segundo especialistas da industria aeroespacial, nao e possivel garantir a construcao de lancamento de um satelite de pequeno porte antes de 2015. "Infelizmente, sao necessarios pelos menos 30 meses para construir um satelite de telecomunicaoes" comenta a fonte. Na hipotese da assinatura de um contrato para a construcao de um satelite hoje, o lancamento so seria possivel depois da Copa em meados de 2015. De acordo com as declaracoes do Ministro das Comununicoes Paulo Bernardo, especialistas do setor explicam que o peso do satelite possibilitaria um numero reduzido de transponders -- entre 3 ou 4 em banda X, e no maximo outros 8 em banda Ka (18.5 - 28.7GHz). A faixa de 5 toneladas esta sendo considerada para viablizar lancamento usando foguete de tecnologia Ucraniana chamado "Cyclone-4" a partir da Base de Alcantara no Maranhao. O foguete vem sendo desenvolvido pela joint venture do Brasil com o governo da Uncrania a partir da empresa Alcantara Cyclone Space http://www.alcantaracyclonespace.com. Infelizmente, as planos de Dilma de fazer propaganda eleitoral com um lancamento de satelite a partir de Alcantara vao ter de esperar ate 2015.

    ResponderExcluir

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.