quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Com aportes, Patrimônio Líquido da Telebras ficará positivo no segundo semestre

Insight - Laboratório de Ideias - 15/08/2011 (atualizado em 28/09/2011)

Após mais de uma década, a Telebrás voltará a ter um patrimônio líquido positivo neste segundo semestre. Isso será possível através da apropriação do aporte de R$ 300 milhões que já começou a entrar no caixa em parcelas, conforme consta das Notas Explicativas (NE) às Demonstrações Contábeis da Telebrás, divulgadas hoje.

No item 13 das NE, a estatal explica que "O saldo de R$ 18.841 em 30/06/2011 (7.420 em 31/12/2010) corresponde a aporte da União para a subscrição e integralização de capital. O saldo citado será utilizado em futuro aumento de capital da TELEBRÁS em favor da UNIÃO".

Prosseguindo no mesmo item, a estatal explica que a União abriu um Crédito Extraordinário da ordem de R$300 milhões e que também está prevista a liberação de mais R$50 milhões, destinados à Telebras para a Implantação da Rede Nacional de Banda Larga e futura capitalização, cujo valor será incorporado à previsão de aporte no exercício de 2011, em parcelas mensais, conforme cronograma previsto entre maio a novembro de 2011.

No item 19, sob o título "Evento Subsequente", a companhia informa que:

"Dentro do cronograma previsto para liberação dos recursos do Programa Nacional de Banda Larga – PNBL, conforme mencionado na nota explicativa nº 13 – Recursos Capitalizáveis, a empresa recebeu da União, em 04/07/2011: R$ 54.383 e em 02/08/2011: R$ 55.391, para futura capitalização.

O recebimento destas parcelas provocará expressiva mudança no valor do Patrimônio Líquido, que de (R$ 66.797) passará para R$ 42.977, não considerando os demais resultados das operações no período subseqüente
".

Ou seja, haverá uma variação positiva de R$ 109.744 (todos os valores estão em milhares de reais). Em consequência, o valor patrimonial de suas ações (VPA) preferenciais e ordinárias também ingressará no campo positivo.

A previsão do valor do Patrimônio Líquido para o segundo semestre de 2011 ainda não contempla as receitas operacionais que a Telebras auferirá, advindas da venda de capacidade de rede a terceiros e nem a verba oriunda da extinção do Programa de Indenização de Serviços Prestados-PISP, o que deverá redundar na reversão de valores provisionados no montante de 38 milhões de reais, que irão reforçar o caixa da empresa. Esses valores poderão ser incrementados caso a empresa obtenha também outras verbas através de parcerias com as elétricas ou com a Petrobás, bem como de Parcerias Público Privadas (PPP) que sejam eventualmente firmadas com bancos ou outras empresas.

Mesmo que não entrasse mais nenhum centavo no caixa da Telebrás - o que é impossível, o fato de o Patrimônio Líquido passar para o "azul" após 13 anos já merecerá tanta comemoração quanto a primeira fatura. Além disso, o valor patrimonial das ações (VPA) é um dos itens de grande peso nas decisões de investimento do mercado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem conta no Google, identifique-se e deixe aqui seu comentário, com críticas, sugestões e/ou questionamentos.